África do Sul inicia campanha de vacinação contra covid-19

·1 minuto de leitura
(ARQUIVO) Logotipo Johnson & Johnson mostra seu logotipo em Irvine, Califórnia em 28 de agosto de 2019

A vacinação contra covid-19 começou nesta quarta-feira (17) na África do Sul, horas depois da chegada das primeiras 80 mil doses do laboratório americano Johnson & Johnson, constataram repórteres da AFP em um hospital na periferia da Cidade do Cabo.

Com o início da vacinação, a África do Sul passa a ser o primeiro país a usar o produto Johnson & Johnson.

A campanha foi adiada devido a dúvidas sobre a eficácia contra a cepa local do vírus da primeira vacina comprada pela África do Sul, a da AstraZeneca, o que levou as autoridades a descartarem seu uso.

As vacinas de dose única foram entregues no final da tarde no aeroporto de Joanesburgo, transferidas para uma instalação segura e distribuídas em vários centros em todo o país.

Outras 420.000 doses devem ser entregues nas próximas semanas, de acordo com o governo. No total, nove milhões de doses foram solicitadas ao laboratório americano.

Elas serão complementados com 20 milhões de vacinas da Pfizer. A África do Sul também receberá outros lotes por meio da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da União Africana (UA).

A África do Sul, o país mais afetado do continente, deveria começar a imunizar seus 59 milhões de habitantes no início de fevereiro com um milhão de vacinas britânicas da aliança AstraZeneca / Oxford.

Mas, alguns dias depois, um estudo mostrando eficácia "limitada" contra a variante sul-africana, 501Y.V2, forçou o governo a suspender sua campanha de vacinação.

A África do Sul registrou quase 1,5 milhão de infecções por coronavírus, com mais de 48.000 mortes.

str-cld/ger/pc/mar/fp/jc