África do Sul volta a impor toque de recolher por recidiva do coronavírus

·1 minuto de leitura
Pessoas com máscaras aguardam em fila para comprar passagens ferroviárias na estação de Pretória, África do Sul, 1º de julho de 2020, na reativação das operações de trens na capital

O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, voltou a impor o toque de recolher noturno e suspendeu a venda de álcool para enfrentar uma recidiva do novo coronavírus, que pode saturar o sistema sanitário.

"À medida que avançamos para o pico de infecções, é vital não sobrecarregar nossas clínicas e hospitais com lesões relacionadas ao álcool, que poderiam ter sido evitadas", disse Ramaphosa, em um discurso à nação, transmitido pela televisão.

Para reativar a economia, o governo decidiu em maio suspender as restrições impostas em março e voltou a permitir a venda de bebidas alcoólicas para consumo doméstico, o que voltou a proibir agora.

O toque de recolher será aplicado entre as 21h e as 04h a partir da segunda-feira. As visitas a familiares também estarão proibidas.

Segundo o presidente sul-americano, nas últimas semanas foram registradas pelo menos 12.000 infecções diárias - até 500 por hora - cifras que põem em risco de sobrecarga o sistema de saúde do país.

"Agora há evidências claras de que a retomada da venda de álcool resultou em uma pressão considerável nos hospitais, incluindo os traumatismos e as unidades de terapia intensiva, devido a acidentes automobilísticos, violência e traumas induzidos pelo álcool", disse Ramaphosa.

A África do Sul registrou até agora 264.184 casos do novo coronavírus e 3.971 falecimientos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos