Áries, Leão e Sagitário são os signos que mais sofrem na quarentena, analisa a astróloga Leiloca

Guilherm Scarpa

Astróloga há 48 anos, a capricorniana Leiloca Neves anda preocupada com as informações que vêm do céu. Mais precisamente desde que Netuno entrou em Peixes, em 2012. A pandemia do coronavírus, portanto, não chegou a ser uma surpresa para a eterna Frenética. "Graças a Deus, já vivo confinadinha há muitos anos, dou consulta por vídeo, me adapto muito bem ao que a vida me dá", diz. Em plena virada do Ano Novo astrológico, que se inicia com a entrada do Sol em Áries, pedimos uma consulta a Leiloca, que, por e-mail, analisa o período.

Como o céu explica uma pandemia como o Coronavírus agora? Vamos por partes: Netuno é lúdico, subjetivo, inspira poetas, cineastas, pintores, espiritualistas e arte em geral, mas, assim como tudo na vida, também tem seu lado sombra e pode instigar corrupção, consumo de drogas, epidemias e catástrofes. Este planeta está em Peixes desde 2012, quando trouxe de volta o Ebola, lembram?, e ficará conosco até 2026. Medo.

Então existe a possibilidade de outras doenças proliferarem? Sim, mas se o nosso padrão vibratório for elevado através de energia positiva e repensarmos esse combo de retrocesso + crueldade + militarismo + ódio que se instaurou no Brasil e no mundo, por causa da conjunção de Saturno e Plutão em Capricórnio, a energia da Terra pode melhorar. É uma questão quântica. O planeta está careta, radical, esquisito.

Há algum sinal de esperança com a chegada do Ano Novo astrológico? Ele chega numa Lua Minguante. Os desafios continuam. Saturno vai entrar em Aquário e fará quadratura com Urano, o que incita desenvolvimento tecnológico e científico. O problema agora são os boletos que chegam através do Covid-19: é hora de repensar espiritualmente a nossa vida. E Plutão em Capricórnio conscientiza os mais antenados a se desapegarem, a dividir, a doar, a exorcizar os medos. Ninguém tem que ir para a rua, não se pode ignorar a pandemia. Esse vírus mostra que precisamos dar um upgrade na nossa cabeça e parar de nos iludirmos com o mundo material.

Quais signos do zodíaco vão sofrer mais durante a quarentena? Os que convivem bem com a solidão são os de elemento terra: Capricórnio, Touro e Virgem, que já nasceram hipocondríacos. São práticos e, até certo ponto, obedientes. Já os signos de fogo (Áries, Leão e Sagitário) vão detestar, porque são sociais e extremamente ativos. A turma de ar (Aquário, Gêmeos e Libra) vai trocar as saídas noturnas pela internet, pois já não vivem sem ela. E, por fim, o núcleo de água vai aceitar o isolamento. Vai bater daquela preguiça boa de ficar em casa vendo um romance na tv (Câncer), filme de suspense ou pornô (Escorpião) ou documentário espiritualista ou ainda dormir ou namorar (Peixes). Todos devem focar na água, vitaminas, cúrcuma, verduras e frutas.

No campo afetivo, como ficam as coisas?Urano em Touro vai trazer uma nova estrutura amorosa: os amores vão ficar mais alternativos - não é à toa que o poliamor vem se proliferando ultimamente e as relações mais tradicionais têm sofrido abalos sísmicos. Por exemplo, um casamento até então sólido pode ou terminar, ou passar por uma DR braba até se reconstruir. Essa pergunta nenhum economista conseguiu responder. Mas eu vou tentar (risos). Plutão desconstrói para reconstruir. Em Capricórnio desde 2008 - ficará nele até 2024 -, o planeta mais distante do Sistema Solar vai desconstruir tudo que chamamos de "sólido". Na economia é como nas relações: ou criamos uma novo conceito, quiçá uma nova moeda ou novos nichos rentáveis, ou ficamos assim (recebendo no nível individual e coletivo as faturas do descaso ambiental, da desigualdade social, do egocentrismo, e tantos outros). A configuração astrológica vigente diz que o mundo não é mais um "oba-oba". Ele mudou, e todos nós somos responsáveis pelo que está acontecendo. Precisamos ser como a flor de lótus, que nasce no pântano.