Âncora afastado por assédio recebeu US$ 25 milhões pela demissão, diz imprensa

MARCOS AUGUSTO GONÇALVES

NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - O âncora Bill O'Reilly, que foi afastado da Fox News sob denúncias de assédio sexual a pelo menos cinco mulheres, teria fechado um acordo de US$ 25 milhões para formalizar a demissão.

A notícia foi divulgada por diversos veículos da imprensa, que citaram informações de bastidores fornecidas por pessoas que acompanharam o caso.

A soma equivale ao que a grande estrela do jornalismo da TV a cabo receberia por ano do canal, que pertence ao empresário Rupert Murdoch.

O afastamento teve ampla repercussão na TV e nos jornais. Veículos à direita, como site Breitbart, ligado a Steve Bannon, estrategista-chefe do presidente Donald Trump, acusou a mídia de esquerda ou democrata de festejar a demissão de O'Reilly e afirmou que, na realidade, o apresentador tinha posições políticas centristas e não conservadoras.

Especulou-se também, na imprensa de celebridades, que a família Murdoch estava dividida sobre o que fazer.

O filho James, CEO da Fox, teria sido o primeiro a considerar que o afastamento era necessário, mas seu irmão Lachlan estava em dúvida.

O empurrão final foi dado por sua mulher, Sarah, uma modelo australiana com inclinações progressistas. Convencido, Lachlan e James levaram suas posições ao patriarca e o destino de O'Reilly foi selado.