'É bom algumas pessoas irem ao Supremo', diz Aziz sobre pedidos de habeas corpus

·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 18.05.2021: CPI-COVID-DF - CPI da Covid no Senado ouve nesta terça-feira o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, em Brasília (DF). O relator da CPI é o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o senador Omar Aziz (PSD-AM) preside a sessão. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 18.05.2021: CPI-COVID-DF - CPI da Covid no Senado ouve nesta terça-feira o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, em Brasília (DF). O relator da CPI é o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o senador Omar Aziz (PSD-AM) preside a sessão. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), recusou pedido de troca do relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

O pedido havia sido feito pelo senador Marcos do Val (Podemos-ES), que argumentou que o trabalho do relator está fazendo com que muitos convocados a prestarem depoimento na CPI busquem habeas corpus para se manterem em silêncio e não respondam determinadas perguntas.

"Não é pela pessoa [Renan], mas o movimento que os convidados estão fazendo junto ao STF estão atrapalhando os trabalhos da CPI", disse.

O ex-ministro Eduardo Pazuello já obteve um habeas corpus para se manter em silêncio em determinas situações em seu depoimento na quarta-feira (19). A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, também ingressou com pedido, que ainda não foi analisado pelo Supremo.

"É bom algumas pessoas irem ao Supremo, porque até outro dia essas pessoas queriam tacar fogo no Supremo", respondeu Aziz, ao negar o pedido.

"Agora pedem auxílio para vir aqui e ficar calado", completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos