É #FAKE que fazer refeições quentes e comer ovo uma vez ao dia previnam a Covid-19

Roberta Pennafort, CBN
·4 minuto de leitura

Uma lista com recomendações para se prevenir a Covid-19 tem sido compartilhada por mensagens de celular. Entre as orientações estão a ingestão diária de ovo e a preferência por refeições servidas quentes. A mensagem diz que isso é capaz de prevenir a doença. É #FAKE.

A mensagem lista medidas para "fortalecer" o sistema imunológico do indivíduo. Começa dizendo: “Conselhos dos hospitais de isolamento: podemos ter em casa os cuidados que são tomados nos hospitais”. A listagem se inicia com a ingestão de vitaminas C e E, e depois traz o seguinte: “Das 10h às 11h, estar no sol durante 15 a 20 minutos; refeição com ovo uma vez ao dia; descansar ou dormir no mínimo 7 ou 8 horas; beber 1,5 litro de água diariamente; todas as refeições devem ser quentes (não frias)".

De acordo com médicos entrevistados pela CBN, não existem estudos que comprovem que tais práticas evitam o contágio pelo coronavírus.

A lista traz ainda o pH de alimentos a serem consumidos para se combater uma possível infecção pelo vírus. A relação já circula há meses e sua eficácia foi desmentida pela equipe do Fato ou Fake. Outra informação da lista é que a mistura de “limão com água morna elimina o vírus antes de ele chegar aos pulmões”. Isso também não é verdade, e já foi desmentido.

O infectologista Renato Kfouri, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, explica que as recomendações compartilhadas não são necessariamente prejudiciais à saúde, como outras que vêm sendo disseminadas nas redes sociais desde o começo da pandemia. Contudo, não há nenhuma comprovação científica de que se possa evitar a contaminação agindo como sugere a lista. A profilaxia segue a mesma preconizada há meses pelas autoridades de saúde: evitar aglomerações, reforçar a higiene das mãos e usar máscara, protegendo nariz e boca.

“Tomar sol moderadamente, se hidratar e ter alimentação equilibrada, com verduras, vegetais, proteínas e frutas são hábitos que promovem a saúde, aliando-se isso ao sono e à atividade física. Assim se melhora a qualidade de vida, a parte cardíaca, respiratória e também a imunidade. É óbvio que para qualquer um, não especificamente para a Covid-19. Não há evidência quanto a nada isso para a prevenção ao coronavírus. O mesmo vale para vitaminas. Não fazem mal, mas são falsas medidas preventivas. Não podemos nos descuidar das medidas que conhecemos: o distanciamento social, a lavagem de mãos e o uso de máscara”, alerta o médico.

O infectologista Leonardo Weissmann, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, lembra que beber água com frequência é muito importante para o organismo, mas a água não “expulsa” o vírus do organismo. Já circulou, inclusive, um boato que dizia que ingerir água de 15 em 15 minutos previne a infecção, o que também foi desmentido pela equipe do Fato ou Fake.

Quanto a se comer ovo todo dia, Weissmann explica: “Os ovos contêm vitaminas A, D, E, B6 e B12, além de sais minerais, como zinco, ferro e cobre. Mas isso não significa que seja necessário comer diariamente, seja pensando na Covid-19 ou em qualquer outra doença. Não há fundamento nesse conselho. Idem para comida quente. Sendo quente ou fria, não haverá qualquer influência na luta do organismo contra o vírus”, diz o médico.

“Em relação à exposição à luz solar”, o infectologista aponta, “a inclusão na lista pode ter dois significados". "Se for por conta do calor, ele não mata o vírus (a informação já circulou e foi desmentida também pela equipe do Fato ou Fake). Caso seja pela vitamina D, que tem o sol como fonte principal, estudos sugeriram que indivíduos com deficiência dela possam ser mais suscetíveis à infecção pelo novo coronavírus do que aqueles com níveis normais. Porém, ainda não há evidências científicas suficientes para se recomendar a suplementação de vitamina D para a prevenção ou tratamento da Covid-19.”

O pneumologista Rodolfo Fred Behrsin, professor do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, frisa que não existe dieta anti-coronavírus. “Pesquisadores no mundo todo buscam um medicamento que tenha ação efetiva contra essa doença e, infelizmente, os ovos ou outros alimentos não têm essa capacidade terapêutica”, afirma o médico.

“O mesmo repito quanto a ficar exposto ao sol. E se consideramos o horário proposto, piora mais ainda, pois pode haver danos à pele. Sobre beber 1,5 litro d’água, sabemos que grandes quantidades de líquido de uma vez produzem distensão abdominal. É importante estar hidratado para uma boa recuperação da Covid-19, mas bebendo água aos poucos.”