É #FAKE que mais de 200 crianças morreram por causa da Covid-19 na Itália em apenas um dia

Roberta Pennafort (CBN)
1 / 1

whatsapp-image-2020-03-26-at-13.23.51.jpeg

Várias mensagens têm sido compartilhadas nas redes sociais dizendo que no dia mais triste da Itália, quando o país teve o recorde de mortes (793) por causa do novo coronavírus, 232 crianças estavam entre as vítimas. É #FAKE.

A maior parte das publicações foi feita no dia 22 de março, um dia depois de serem registradas na Itália 793 mortes pela Covid-19. Mas as postagens continuam sendo compartilhadas. Não é verdade, porém, que 232 crianças morreram neste dia. Nenhuma morte de criança foi registrada até então na Itália. Mais: não houve nenhum óbito de pessoas abaixo de 30 anos.

Leia: Saiba o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus

Desde o início da pandemia, o que se vê são quadros mais graves em idosos e pessoas com patologias prévias.

Uma análise feita pelo Instituto Superior da Saúde da Itália, órgão governamental, aponta que 85% dos mortos tinham mais de 70 anos.

A Itália é o segundo país do mundo com o maior número de idosos depois do Japão. Isso explica, em parte, a alta letalidade do novo vírus no país.

A situação italiana é a mais dramática do planeta no momento. É o país com mais perdas humanas – são mais de 7.500 mortos, e o número de infectados passa de 74 mil. Os óbitos somam mais que o dobro dos registrados na China (3.200), país onde o surto teve início.

A propagação evoluiu no país há um mês. A primeira morte em decorrência da Covid-19 data de 21 de fevereiro, quando havia apenas 17 casos confirmados. As medidas de isolamento social foram frouxas, o que fez com que o novo vírus se espalhasse rapidamente.