“É Show ou é Fria”: últimos dias de outubro (27 a 31) e primeiros dias de novembro (1 e 2)

ELZA SOARES

27 a 29 - SESC Pinheiros - São Paulo

Assistir a uma apresentação desta outrora grande cantora é testemunhar o quão bizarro pode ser o show business brasileiro. Até concordo que a voz dela é inconfundível. Só que a esta altura do campeonato, isto não significa algo agradável. Pelo contrário. Elza continua exagerando absurdamente em suas cantorias, desafinando horrores e nem mesmo o fato de apresentar neste show algumas canções de seu mais recente álbum, o estranho A Mulher do Fim do Mundo pode atenuar este defeito. Vergonha alheia em grau master, principalmente por sempre haver bobalhões “baba ovos” na platéia. Fuja disso!

BARBATUQUES

27 e 28 - SESC Pompéia - São Paulo

Este talentoso grupo faz algo impensável: música corporal de ótima qualidade. Lançando seu quarto disco, Ayú, a turma ensina como criar canções de diferentes estilos usando estéticas composicionais e fonemas de maneira brilhante. É uma aula de ritmo, harmonia e melodia. Não deixe de assistir!

VANESSA DA MATA

28 - Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Taí um daqueles shows que deixam todo mundo com sorriso no rosto e com vontade de cantar as músicas. Esqueça bobagens como “Ai Ai Ai”. Há uma delicadeza brejeira na voz de Vanessa que funciona perfeitamente dentro de suas canções. Suas apresentações são sempre corretas, com banda afiada e direção segura. É uma boa pedida para quem quer impressionar a(o) parceira(o) recém-conquistada(o), principalmente porque neste show gratuito ela vai mostrar algumas composições de seu mais recente trabalho, o interessante Segue o Som.

WESLEY SAFADÃO

28 - Citibank Hall - São Paulo

Nem preciso comentar, né? Basta que você leia aqui  o que escrevi a respeito deste sujeito. De uma coisa você pode ter certeza: já sei onde NÃO estarei…

TIAGO IORC + HUMBERTO GESSINGER

28 – Metropolitan – Rio de Janeiro

Minha Nossa Senhora! Quem teve essa idéia maligna de unir os dois? E em um mesmo show??? Meu Jesus… Leve travesseiros, lençóis, colchões… Pensando bem, leve uma barraca de acampamento também, para garantir um soninho tranqüilo dentro do local…

BELO

28 - Carioca Club - São Paulo

Sempre penso que o Belo foi preso pelos motivos errados: quem “canta” as “músicas” que ele mostra nos shows não merece outra coisa senão passar um bom tempo tomando água de caneca e tendo duas horas de sol por dia. Uma verdadeira aberração para quem gosta de samba, Belo personifica o que de pior o tal “pagode” propiciou.

TULIPA RUIZ

28 - Circo Voador – Rio de Janeiro

Um dos grandes destaques da nova geração de cantoras brasileiras, ela vem se tornando um exemplo de como uma grande voz pode propiciar um belo show. O repertório é bacana – centrado agora em seu mais recente e ótimo álbum, Dancê -, Tulipa é carismática e a banda que a acompanha segura muito bem a onda. Você vai sair do show com vontade de comprar o disco da garota. Pode apostar!

LUPA SANTIAGO & RODRIGO URSAIA QUINTETO

28 - SESC Vila Mariana - São Paulo

Excelente guitarrista, Lupa Santiago faz uma interesse ponte unindo o jaz e a MPB instrumental e é exatamente isto que ele costuma apresentar com maestria em seus shows. A “cancha” que adquiriu por ter tocado muito no exterior e ao lado de grandes nomes como Dave Liebman e até mesmo Hermeto Pascoal dão o devido gabarito à sua performance, sempre ao lado de um grande grupo de apoio. No caso, o quinteto com quem Santiago gravou o bom álbum Chamado. Pode ir sem susto…

DELICATESSEN

28 - SESC Belenzinho - São Paulo

Este grupo gaúcho vem há anos se dedicando a revisitar standards de jazz com uma abordagem brasileira, em que predomina a bossa nova. Agora, eles fazem o caminho contrário, montando um repertório com canções brasileiras – como “Canção Pra Inglês Ver”, de Lamartine Babo, e “Telefone”, de Roberto Menescal -, com arranjos tipicamente jazzistas, só que usando ritmos dos primórdios do gênero, como o charleston e o foxtrot. É um espetáculo curiosíssimo e desconcertante!

FERNANDA ABREU

28 - Vivo Rio - Rio de Janeiro

Acompanhada por uma ótima banda de apoio, ela vai mostrar as boas canções de seu repertório – que incluem algumas de seu mais recente álbum, Amor Geral - com uma abordagem orgânica e eletrônica ao mesmo tempo. Pode funcionar bem se ela tiver corrigido as terríveis desafinações que costumava exibir no passado. Será que melhorou?

PARALAMAS DO SUCESSO + HUMBERTO GESSINGER

29 - Citibank Hall - São Paulo

Saiba que nesse show pode acontecer de tudo. Para o bem e para o mal. Vá por sua conta e risco…

BETH CARVALHO

29 - Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Recuperada de um seríssimo problema de saúde, uma das grandes damas do SAMBA (é, com letra maiúscula mesmo) volta aos palcos com o espírito renovado e, principalmente, com garra e vontade de mostrar para as novas gerações que este pagode xexelento que ainda se ouve por aí é tão consistente quanto um zumbido de moscas no ouvido. Se estiver com a saúde em ordem, vier com uma banda de apoio bacana e souber escolher o repertório, Beth tem tudo para dar uma verdadeira aula.

JOTA QUEST

29 – Metropolitan – Rio de Janeiro

Não há nada mais a dizer a respeito dos shows deste grupo: é o exemplo de como uma banda que poderia fazer um som sensacional se transformou em uma espécie de “Luciano Huck do pop/rock nacional”. É, não tenho mesmo nada mais a escrever a respeito…

ALCIONE

29 - BH Hall – Belo Horizonte

A “Marrom” canta muito. Isto é fato. O problema é que ela parece ter tanta certeza disto que acha que pode cantar qualquer coisa e todo mundo irá babar. Ledo engano. Neste show ela deixa de privilegiar o samba e embarca em um repertório formado apenas por boleros, o que faz com que a qualidade de seus espetáculos caia consideravelmente. Agora, se essa for a sua ‘praia’, se jogue nela…

PAULINHO MOSKA & SURICATO

29 - Circo Voador – Rio de Janeiro

Em todos os seus shows, ele só reforça a tese de que é um cara talentoso, mas que sempre apresenta um repertório bastante irregular. A falta de uma constante safra de boas canções é justamente o que atrapalha a sua carreira. Nesse show ele confirma que irá se apresentar com a banda Suricato, que participou de uma das edições do programa Superstar na Globo, só não sabemos se juntos no show inteiro ou em algumas músicas. Ou se serão dois shows distintos. Caso resolva conferir, saiba que estará por sua conta e risco…

FLÁVIO VENTURINI, SÁ & GUARABYRA & 14 BIS

29 - Espaço das Américas - São Paulo

Dentro do projeto Encontro Marcado, a união entre estes músicos e cantores vai muito mais do que comemorar décadas de carreira, mas principalmente resgatar ótimas canções que cada um deles ostenta em seus respectivos currículos. Dê uma arriscada…

MATANZA

29 – Imperator – Rio de Janeiro

Muita gente acha um absurdo, mas… Sim, o Matanza é uma banda legal e que faz um show melhor ainda. Ao vivo, os caras mandam muito bem e as canções fazem muito mais sentido do que aquilo que você ouve no CD. È claro que você precisa entrar na vibe “Johnny Cash metal caminhoneiro cafajeste” para curtir e divertir com as canções escrachadas, mas mesmo quem não chegado a este tipo de “podreira” pode curtir as apresentações que marcam o lançamento do novo álbum, dos caras, Pior Cenário Possível. Na abertura vai rolar apresentação do grupo Dirty Devil Band, do qual nunca ouvi falar…

ARNALDO ANTUNES

29 - SESC Campo Limpo – São Paulo

Inquieto como sempre, ele retorna aos palcos agora apresentando canções de seus trabalhos anteriores e algumas composições novas, que devem entrar em um futuro CD. Será um show gratuito e mais intimista, já que ele será acompanhado apenas por dois músicos, que se revezarão em vários instrumentos. Hum, não sei não…

XANDO ZUPO

29 - SESC Belenzinho - São Paulo

Talentoso guitarrista brasileiro que já integrou ótimas bandas como Harppia, Patrulha do Espaço e o subestimado Pedra, ele está comemorando 35 anos de estrada com um show em que mostra suas boas composições próprias que fizeram parte dos repertórios dos grupos em que tocou no passado. Vá e se surpreenda com a qualidade musical do trabalho de alguém que você realmente deveria conhecer…

SANDÁLIA DE PRATA

29 - SESC Pompéia - São Paulo

Sem sacanagem: este é o melhor grupo de samba-rock/soul/MPB em atividade no Brasil. Todos os músicos são excelentes, a cantora Ully Costa tem um timbre belíssimo e o show, baseado nos três excelentes discos que lançaram - Samba Pesado (2010), Desafio ao Galo (2013) e o mais recente, Maloqueiro e Elegante - vai deixar você de queixo caído e com o esqueleto exausto de tanto dançar. Vá sem susto!

LEO JAIME & MARINA LIMA

29 - Tom Brasil - São Paulo

Na verdade, trata-se de um show do velho Jaime em que a cantora fará uma participação especial cantando três canções com ele e duas sozinha, ou seja, pode ser divertido e constrangedor ao mesmo tempo. Vá por sua conta e risco…

JORGE ARAGÃO

29 - Vivo Rio - Rio de Janeiro

Assim como Zeca Pagodinho, o velho e bom Jorge faz samba legítimo e não esses pagodes xexelentos que empesteiam a atmosfera deste País. Faz muito tempo que não o vejo nos palcos, já que ele esteve por um bom tempo afastado deles por sérios problemas de saúde. Como tudo agora parece estar OK com ele, vale a pena dar uma checada em seu ótimo som e participar das comemorações de suas quatro décadas de carreira.

SABATON

29 - Via Marquês – São Paulo

30 - Circo Voador – Rio de Janeiro

2/11 - Opinião - Porto Alegre

Vamos combinar que “power metal” é um troço ridículo por si só, já que usa e abusa de elementos épico que não passam de clichês de histórias medievais, com letras versando sobre batalhas de espadinhas e guerreiros tão heróicos quanto o guarda noturno da sua rua. No caso deste grupo sueco, os caras pelo menos tentam sair desse contexto com canções baseadas em guerras mais contemporâneas, com tiros, canhões e capacetes. Tudo soa o tempo inteiro como se uma única música estivesse sendo tocada. Se você não se incomoda com isso, então tá… Ah, na abertura do show no Rio vai rolar apresentação da banda Armahda, da qual nunca ouvi falar, enquanto que em São Paulo será o grupo nacional Armored Dawn, que já que começou uma carreira internacional, a tocar como “aperitivo guerreiro”.

BELO, MR. CATRA e PIXOTE

1/11 - Audio – São Paulo

Fique em casa. Simples assim…

BANDA UÓ

1/11 - Cine Joia - São Paulo

Poucas coisas surgidas na música brasileira nos últimos tempos são tão ridículas e intragáveis quanto este trio, cuja excessiva afetação é inversamente proporcional à habilidade em conseguir compor pelo menos uma única canção que consiga ser minimamente razoável. Seus integrantes tentaram fazer com que o “technobrega” se tornasse uma nova onde de sucesso nacional, mas graças ao bom Deus foram solenemente ignorados, o que frustrou alguns críticos metidos a moderninhos que endossaram esta porcaria. Nem perca seu tempo pensando em conferir este troço: os shows são tão animados quanto uma apresentação de um palhaço banguela em um cirquinho do interior.

SORRISO MAROTO

1/11 - Pepsi On Stage – Porto Alegre

Meu Jesus na cruz… Isto é horrível. Como é que uma banda destas consegue desenvolver uma carreira inteira dependente de um meio musical que prima pelo vazio criativo e que inequivocadamente dando seus últimos suspiros é algo que deveria ser estudado. Talvez a explicação esteja no fato de que sua música é feita para pessoas que acham que o amor é aquilo que se vê nas novelas da Globo. Meu Jesus na cruz…