“É Show ou é Fria”: segunda semana de Julho (7 a 13)

DJAVAN

7 - Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Sempre muito rigoroso com relação aos seus shows, Djavan certamente vai apresentar um espetáculo de alto nível, com músicos de apoio ultracompetentes, cenografia e iluminações caprichadas e com som de qualidade. O problema pode ser o repertório, que sempre traz excelentes canções ao lado de outras de nível muito inferior. Neste sentido, o show é uma loteria. A não ser que você seja pouco exigente e trate apenas de saborear o que o artista lhe apresentar. Neste caso, boa sorte!

BETH CARVALHO

7 e 8 - SESC Belenzinho - São Paulo

Recuperada de um seríssimo problema de saúde, uma das grandes damas do SAMBA (é, com letra maiúscula mesmo) volta aos palcos com o espírito renovado e, principalmente, com garra e vontade de mostrar para as novas gerações que este pagode xexelento que ainda se ouve por aí é tão consistente quanto um zumbido de moscas no ouvido. Se estiver com a saúde em ordem, vier com uma banda de apoio bacana e souber escolher o repertório, Beth tem tudo para dar uma verdadeira aula.

CAPITAL INICIAL

8 - Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Podem acusar a banda de qualquer coisa, menos de ser incompetente em cima do palco e de fraquejar na hora de propiciar um show animado. Por ser o único grupo remanescente da cena roqueira brasileira dos anos 80 que conseguiu reciclar o seu público, o quarteto certamente vai exibir um desfile de hits para todo mundo cantar junto e se esbaldar. O problema é que os caras estão divulgando mais um trabalho acústico, grava do em Nova Iorque no ano passado. Então, já sabe, né?

SUPLA

8 - Auditório Ibirapuera – São Paulo

Parece incrível, mas o cara está comemorando inacreditáveis trinta anos de carreira!!! Nesse show, ele contará a participação especial do Roger (Ultraje a Rigor), do irmão e parceiro no Brothers of Brazil, João Suplicy, e da jovem cantora Isa Salles, que fará dueto com ele em uma canção horrível, “Amor Entre Dois Diferentes”. Melhor mesmo é tentar se alegrar com velhas canções de suas antigas bandas, Tokyo e Psycho69, e rezar para que nele saiba escolher as canções mais divertidas de seu trabalho solo.

NENHUM DE NÓS

8 - Bolshoi Pub – Goiânia

Perto de algumas bandinhas indie mixurucas que são incensadas por críticos com interesses escusos, o som do Nenhum de Nós soa como o U2. Algumas de suas canções são bastante subestimadas – como é o caso da boa “Camila, Camila” – e a banda costuma não fazer feio em cima do palco.

WESLEY SAFADÃO

8 - Espaço das Américas - São Paulo

Nem preciso comentar, né? Basta que você leia aqui o que escrevi a respeito deste sujeito. De uma coisa você pode ter certeza: já sei onde NÃO estarei…

MAX DE CASTRO

8 - SESC Vila Mariana - São Paulo

Dando um tempo nas apresentações do espetáculo Baile do Simonal, Max vai mostrar neste show algumas de suas boas composições de seus trabalhos anteriores e algumas canções inéditas, que estarão presentes em seu novo disco, A Fantástica Fábrica de Champignon, que será lançado daqui a alguns meses. Sua banda de apoio é excelente, vão rolar participações especiais do lendário Marcos Valle e de Moreno Veloso, mas a voz… Putz, neste quesito, Max ainda deixa muito a desejar. Torça para que isto não atrapalhe o balanço e as boas sacadas de seu som.

ALICE CAYMMI

8 - Theatro NET - São Paulo

Da doçura da família Caymmi ela não tem nada. Sua voz é repleta de uma intensidade quase agressiva e a sua marcante presença de palco faz com que suas boas canções ganhem um atrativo a mais. O som é pop, mas não é babaca. Ótima pedida, principalmente para quem não a conhece.

KRISIUN

8 e 9 – SESC Pompeia – São Paulo

A banda brasileira que mais shows faz no exterior tem como tradição sonora mandar uma paulada death metal que assusta até mesmo os já iniciados no estilo, embora seus mais recentes discos – como o extraordinário Forged in Fury - tenham adquirido uma cadência bem-vinda e extremamente poderosa. É showzaço que você não deve perder e não recomendado para quem acredita que música é instrumento de paz e de alegria campestre.

CRIOLO e NAÇÃO ZUMBI

9 - Tropical Butantã – São Paulo

Dentro de um evento denominado Samaúma Festival, duas atrações nacionais devem apresentar dois shows bem distintos. Enquanto Criolo vai intercalar poucas boas canções com outras simplesmente horríveis, o Nação Zumbi deve fazer um show bastante energético e pesado. Vá por sua conta e risco.

RITCHIE

9 - Auditório Ibirapuera – São Paulo

Ao lado do grupo Black Tie, o cantor e compositor vai mostrar apenas canções do lendário Paul Simon em versões ‘acústica-camerísticas’. Como Ritchie é dono de elegância musical inquestionável e o repertório é excelente, já sabe: pode comprar o ingresso sem susto.

TITÃS

9 - Circo Voador – Rio de Janeiro

A nova formação, que finalmente está bem azeitada, e o repertório, que intercala as ótimas canções do passado com as novas do bom e mais recente álbum, Nheengatu, são motivos mais que suficientes para que você levante a bunda da cadeira e vá assistir a este show. Simples assim.

ZECA PAGODINHO & MARCELO D2

9 - Espaço das Américas - São Paulo

Sim, os dois vão se apresentar juntos, ao mesmo tempo. Sabe-se lá o que vai sair dessa parceria, mas eu confesso que fiquei bastante curioso, a ponto de conferir essa apresentação. E você?

GLORIA

9 - Hangar 110 - São Paulo

Este é mais um exemplo de grupo que tenta soar “malvado” a qualquer custo, enchendo seu som de guitarras pesadas, bateria monolítica e muitos gritos e urros. O problema é que as canções são umas baboseiras pseudo românticas dor de corno, tudo embalado com este “pacote raivoso”. Só engana adolescentes de miolo mole…

ROSA PASSOS

9 - SESC Pinheiros - São Paulo

Esta excelente cantora e violonista vai apresentar um repertório que faz um apanhado de sua longa carreira e que foi registrado em um CD gravado ao vivo no Uruguai, o que significa belas canções com uma abordagem calcada em uma ótima mistura de MPB e jazz. Vale a pena dar uma olhada…

TORTURE SQUAD

9 – Rock Experience – Rio de janeiro

Mesmo perdendo uma figura emblemática – o carismático vocalista Vitor Rodrigues, agora substituído pela “urrante” May “Undead” Puertas (ex-Necromesis) – e contando com um novo guitarrista, Rene Simionato, a banda continua como um trio a estraçalhar nos ouvidos com um heavy metal da melhor qualidade. Tudo é tocado de modo bastante técnico, mas sem “masturbações solísticas”, embora ninguém consiga deixar de ficar impressionado com a ‘monstruosidade’ do estupendo baterista Amílcar Christófaro. Recomendado! Ah, na abertura vão rolar shows das bandas Blasthrash, Savanth e Redentor.

TONY BABALU

9 e 10 – Galeria Olido – São Paulo

Figura conhecidíssima na história do rock nacional por conta de seu trabalho com o grupo Made in Brazil, o guitarrista acabou de lançar um belo CD instrumental, Live Sessions at Mosh, no qual demonstra sua habilidade e ecletismo musical ao lado do extraordinário baterista Franklin Paolillo (ex-Rita Lee & Tutti Frutti, ex-Joelho de Porco) e de outros competentes músicos. Vá e se surpreenda…

MEDUSA

9 e 10 - SESC Belenzinho - São Paulo

Todo mundo que curtia – e ainda curte – música instrumental brasileira sabe do quanto o grupo formado por instrumentistas lendários – o pianista Amilson Godoy, o guitarrista/violonista Heraldo do Monte, o baixista Claudio Bertrami e o baterista Chico Medori – foi fundamental para a criação de uma cena nacional a partir de dois álbuns extraordinários – Medusa (1981), cujo repertório será apresentado na íntegra nessa apresentação, e Ferrovia (1983). Agora, com Ricardinho Paraíso substituindo o falecido Bertrami, a banda se reúne e pode apostar: os caras vão fazer um som de cair o queixo. Não deixe de assistir em hipótese alguma!

ARISMAR DO ESPÍRITO SANTO

9 e 10 - SESC Pompéia - São Paulo

O renomado baixista e multiinstrumentista lança seu mais recente disco, Roupa na Corda, e certamente vai trazer ao palco uma elegância sônica rara de se ouvir ao vivo nos dias de hoje. Pode apostar que você vai tomar contato com um caldeirão em que cabem generosas doses de jazz e MPB, o que inclui samba, valsa, xotes e o que mais você imaginar, tudo de primeira qualidade.

CLARICE FALÇÃO

9 e 10 - Theatro NET - São Paulo

Por favor, me acordem quando esses shows chatíssimos terminarem, sim? Obrigado. Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz… Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…. Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…

PIERCE THE VEIL

10 - Carioca Club - São Paulo

Rotular o som deste bando de zé-ruelas americanos metidos a emos raivosos de “post-hardcore” é uma das maiores piadas da atualidade. Tudo o que estes caras fazem é sacudir as franjas fazendo um ‘barulhinho’ que nada tem de diferente com porcarias como Black Veil Bride e Avenged Sevenfold. Só muda o visual e as caras de mau. Fuja desta porcaria!

BANDA UÓ

10 - SESC Itaquera - São Paulo

Poucas coisas surgidas na música brasileira nos últimos tempos são tão ridículas e intragáveis quanto este trio, cuja excessiva afetação é inversamente proporcional à habilidade em conseguir compor pelo menos uma única canção que consiga ser minimamente razoável. Seus integrantes tentaram fazer com que o “technobrega” se tornasse uma nova onde de sucesso nacional, mas graças ao bom Deus foram solenemente ignorados, o que frustrou alguns críticos metidos a moderninhos que endossaram essa porcaria. Nem perca seu tempo pensando em conferir esse troço: os shows são tão animados quanto uma apresentação de um palhaço banguela em um cirquinho do interior.

PROJOTA

10 - SESC Pinheiros - São Paulo

Dentro da cena atual do hip hop nacional, este cara faz um trabalho bastante digno e bem elaborado, passando longe da rusticidade sonora de alguns de seus pares. Torça para que neste show ele conte com uma banda ao lado de seu DJ, pois assim a coisa toda vai soar de modo mais intenso e pesado. Vale a pena dar uma espiada…

RICHIE SAMBORA

8 - Tom Brasil - São Paulo

10 – Auditório Ibirapuera (área externa) – São Paulo

12 – Pepsi On Stage – Porto Alegre

Sabe aquele típico caso de coroa cinqüentão que se apaixona por uma menina linda e gostosa, ‘trocentos’ anos mais nova, e que se sente tão sexualmente rejuvenescido pelo novo relacionamento que a coloca para trabalhar ao lado dele, mesmo sem ela ter o mínimo de talento para a empreitada? Pois é, foi o que aconteceu com o ex-guitarrista do Bon Jovi. Enamorado pela guitarrista australiana Orianthi Panagaris – que já fez parte das bandas de apoio de Alice Cooper e Michael Jackson apenas por ser linda e saber tocar seu instrumento sem errar -, ele montou o grupo o duo RSO, contratou mais uns pangarés para tocar os outros instrumentos e tratou de ganhar uns trocados mostrando algumas canções de sua carreira solo medíocre e enxertando um monte de hits ide seu ex-grupo, tudo ao lado de sua namorada/guitarrista que, como instrumentista, é tão criativa e competente quanto uma gaivota com labirintite. O show faz parte de um evento denominado Sansung Best of Blues – e a presença de Sambora só pode ser algum tipo de gozação com as platéias -, que será antecedido pelas boas apresentações do ótimo guitarrista brasileiro Igor Prado e das bandas Mustache & Os Apaches e Os Lontras. Ah, no dia 10, o evento será gratuito.

THIAGUINHO e TURMA DO PAGODE

13 - Audio – São Paulo

Pouco importa que Thiaguinho esteja lançando um novo DVD. Embora seja um cara carismático em cima do placo, ele desperdiça isso com um repertório de porcarias vexaminosas, que só entusiasma periguetes e candidatas a tal. Sem contar que, ao vivo, sua voz não é lá essas coisas. Da mesma forma, a Turma do Pagode é apenas mais um dos 3.769 grupos de “pagode chifrudo” que existem por aí, que só sabe cantar “lelelê”, “laialaiá” e mais um monte de letras ginasiais a respeito de dor do corno. Fique em casa…

“MATANZA FEST”

16 – Tropical Butantã – São Paulo

Como é que é? Um evento com shows do Matanza, Cólera, Zumbis dói Espaço e Rats? Se você tiver disposição física de adolescente e não tiver a cabeça tão envelhecida quanto a sua idade atual, olha que isso aqui pode ser divertido, hein?