Ícaro Silva rebate Juliana Paes, após desabafo político; artistas se dividem

·4 minuto de leitura

Juliana Paes fez um longo desabafo no Instagram após ser criticada por não se posicionar sobre política publicamente. No vídeo, a atriz fala sobre não apoiar "ideias arrogantes da extrema direita" e "nem delírios comunistas da extrema esquerda". A fala gerou reações diversas de famosos. Ícaro Silva foi um dos atores que rebateu.

"Ju, acho que é simples. Você é inteligente, talentosa, carismática, amada, icônica, belíssima. Mas seu pensamento não ultrapassa a bolha da classe alta; não ultrapassa o cercado de privilégios que seu talento te permitiu alcançar. Seu posicionamento é de quem não sabe o que é fome, de quem não entende o que é miséria", introduziu Ícaro.

O artista evidenciou que a fala da colega de profissão diz para uma bolha.

"Dá para entender o que você está dizendo, aqui do meu cercadinho de jovem ator morando na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro). Mas é como se você estivesse falando de uma pequena ilha de tesouros para um continente cheio de gente à beira da morte. Não dá para opor 'arrogância extrema' a 'delírios comunistas', justamente por não sermos binários. O que dá para opor é morte e vida. E a gente sabe quem está do lado da morte. Isso está dado. Não é mistério", disse o ator.

O paulista, de São Bernardo do Campo, ainda alfinetou.

"De todas as suas qualidades bárbaras, talvez te falte a empatia. Ou talvez um senso de antropologia. Porque você fala de um lugar de muita inteligência, mas pouco conhecimento. E esse não é um país de pessoas inteligentes (vide a eleição de 2018)".

O desabafo

Juliana Paes fez o vídeo como uma "resposta a uma colega" de profissão que a teria "agredido com palavas", após sua defesa à médica Nise Yamagushi, que participou da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado na última terça-feira. A estrela de "A dona do pedaço" criticou o tratamento que senadores deram à médica durante a sessão da CPI. Após uma onda de comentários em sua página, ela publicou um vídeo afirmando que não era “bolsominion” ou de direita, mas que “não apoia os delírios comunistas da extrema-esquerda”.

“Eu não admito ser colocada em nenhum desses dois polos. Não quero contribuir para essa polarização doentia. Não nesse momento obscuro onde o ódio reverbera mais. Ou você é isso ou é aquilo. Isso não existe. Somos múltiplos”, afirmou a atriz no vídeo que já tem mais de 5 milhões de vizualizações.

Segundo ela, não é por que alguém não milita nas redes, ou fala de política na internet que necessariamente está assumindo uma posição.

Se dirigindo a uma atriz que ela não idenfitica, Juliana Paes afirma ter decidido se posicionar por “ter sido acusada de ser covarde, desonesta e criminosa”.

“Cara colega, apesar de eu ter sido agredida por suas palavras caluniosas, de ter sido invadida pela sua mensagem de noite, de ter sido acusada de ser covarde, desonesta, criminosa, eu me dispus a te responder por todas as cenas que eu me emocionei do seu lado”, diz a atriz no vídeo, sem citar nomes.

Divisão de artistas

A publicação de Juliana Paes virou uma divisão de artistas, entre os que aplaudiram o posicionamento apareceram Marcos Palmeira, Danni Suzuki e Agatha Moreira.

"Parabéns Ju! Belo posicionamento! Todo meu respeito!", publicou Marcos Palmeira. "Sim somos todos livres pra sentir, pensar, escolher e ser o que quisermos", escreveu Danni Suzuki. "Você é incrível! Obrigada por essas palavras", elogiou Agatha Moreira.

Já entre os críticos, apareceram Patrícia Pillar, Letícia Sabatella, Bruno Gagliasso, Clarice Falcão, além de Ícaro Silva.

"Só uma pergunta: que delírios comunistas?", ironizou Patrícia Pillar. "Com todo respeito, Juliana, mas o delírio é esse aí", disse a cantora Clarice Falcão. "Sempre tive e sigo com o mesmo carinho e admiração por você. Um dia, a gente pode conversar com calma, te mostraria que, através de muitas fakenews disseminadas para acreditarmos que o Brasil corre o risco de virar uma ditadura comunista, partem de quem está querendo implantar uma ditadura ao molde do que já houve em nosso país. Em meu caminho, sempre cuidei de conhecer de perto os movimentos sociais tão criminalizados. Só este cuidado, te peço na sua linda fala, minha querida", disse Letícia Sabatella, que ainda convidou a colega para conversar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos