Ícone da Viradouro, anã sofre preconceito a caminho da Sapucaí: ‘Respondi com beijinho’

João Paulo Saconi
Com 1,25m de altura Viviane Assis é destaque da Viradouro

RIO — Viviane Assis é uma celebridade do Carnaval do Rio: neste domingo, ela completa 13 anos como componente da Viradouro. Seus 1,25m de altura (que ganham mais 25 cm com o salto alto que usará hoje), aliados ao samba no pé, são motivo de comoção na Passarela do Samba. Por onde passa, ela arranca aplausos e gritos de aprovação de uma plateia que, em geral, considera a mais democrática do mundo.

Portadora de nanismo, Viviane começou a primeira noite de desfiles do Grupo Especial em um momento diferente dos que costuma viver quando está fantasiada e se acabando de sambar. Quando chegava ao Sambódromo do Rio, atrás da arquibancada do Setor 13, foi abordada por um grupo de foliões e acabou alvo de preconceito.

— Eles me viram e começaram a gritar: ‘Anã, anã’. Virei para o grupo e respondi com um beijinho. É assim que respondo quando isso acontece — conta Viviane, lamentando: — Infelizmente, ainda tem muita gente preconceituosa.

A tristeza, no entanto, ficou do lado de fora da Avenida. Para o desfile da Viradouro, Viviane levará apenas sua mensagem de superação.

— As pessoas me veem sambando e acham diferenciado. Lá na pista, nunca ouvi um xingamento. Só fora dela — afirma a sambista, que fez fama nas redes sociais e, após brilhar na noite de hoje, quer chegar a 10 mil seguidores no Instagram.