Ídolo e amuleto, Leandro revive a emoção de um Mundial em uma nova era do jogo

Carlos Eduardo Mansur
Para Leandro, que tem até busto na sede do clube, na Gávea, a convivência na concentração é completamente diferente daquela em 1981

Existe um integrante da delegação do Flamengo em Doha que pode se orgulhar de dizer que já viveu tudo isso antes. O ex-lateral Leandro, ídolo e amuleto do clube, campeão mundial em 1981 diante do mesmo Liverpool que agora pode voltar a cruzar o caminho rubro-negro, diz ter na ponta da língua o que gostaria de dizer aos jogadores atuais. Ainda que os tempos tenham mudado.

Não é a primeira vez que o Flamengo inclui Leandro numa delegação em um momento importante da temporada. Já ocorrera em Montevidéu, quando o time definiu sua vida na fase de grupos da Libertadores contra o Peñarol. O empate em 0 a 0 garantiu a sobrevivência.

-- Recebo mensagens de gente dizendo que as chances aumentaram com minha presença. Tomara que corresponda à fama de pé quente -- brincou Leandro.

Para ele, a presença de alguém que não enxerga num Mundial de Clubes um mundo desconhecido pode ser útil aos mais novos. E se inspira num episódio vivido em 1981.

-- O Raul (então goleiro) reuniu os mais novos e disse: "Essa é uma oportunidade única que vocês vão ter". É o mesmo que diria para esse pessoal aqui. Tem campeão de Champions League neste elenco, mas mesmo assim essa oportunidade é algo único.

O que mudou, na visão de Leandro, é o tipo de convivência na concentração. O que influi até no acesso aos jogadores para uma conversa.

-- Hoje é mais fechado, cada um em seu quarto. A aproximação é diferente. Antes era todo mundo junto o tempo todo. No Uruguai aconteceu mais no almoço, um bate papo.

Mesmo quem já viveu a experiência de ser campeão do mundo não fica imune à ansiedade. Se há algo que Leandro preserva em relação ao Flamengo é uma sensação de pertencimento, exposta claramente na maneira como se refere a uma eventual conquista.

-- Ser bicampeão do mundo seria outra grande emoção que, mais uma vez, o Flamengo vai proporcionar na minha vida. É contra o mesmo adversário. Eu hoje sofro como torcedor apaixonado. Amo este clube mesmo.