Índia dará dose de reforço contra Covid para profissionais de saúde a partir de 10 de janeiro

·2 min de leitura

Por Neha Arora

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia começará a administrar vacinas de reforço contra Covid-19 como medida de prevenção para profissionais de saúde e de linha de frente a partir de 10 de janeiro, disse o primeiro-ministro, Narendra Modi, neste sábado, à medida que casos da variante do coronavírus Ômicron aumentaram em todo o país.

Em discurso, Modi também afirmou que aqueles com idade entre 15 e 18 anos começariam a receber vacinas para a doença a partir de 3 de janeiro, e aqueles acima de 60 com comorbidades receberiam doses de reforço após recomendação dos médicos.

“Do ponto de vista da precaução, o governo decidiu que os trabalhadores da saúde e da linha de frente deveriam começar a receber uma dose preventiva”, disse ele.

A Índia relatou um rápido aumento nos casos de Ômicron, com o número chegando a 415 no total em 17 Estados indianos.

O governo de Modi tem acelerado sua campanha de vacinação, administrando pelo menos uma dose a 88% da população elegível de 944 milhões, enquanto 61% tomaram as duas doses.

Enquanto milhões ainda aguardam a segunda injeção, as autoridades agora começarão a oferecer vacinas de reforço aos profissionais de saúde e de linha de frente, que sofreram com uma segunda onda avassaladora do vírus no verão que matou dezenas de milhares de pessoas.

Modi pediu que os cidadãos continuem a usar máscaras e seguir outros protocolos contra a Covid.

As infecções pela doença na nação de 1,3 bilhão de pessoas caíram quase pela metade em relação ao mês anterior. Nas últimas 24 horas, a Índia relatou 7.189 novas infecções, com uma contagem geral de 34,78 milhões, a segunda maior no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

(Reportagem de Neha Arora, Rupam Jain e Devjyot Ghoshal)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos