Índia defende na COP26 o 'direito' dos países em desenvolvimento aos combustíveis fósseis

·1 min de leitura
O ministro do Meio Mabiente da Índia, Bhupender Yadav, fala durante intervenção em um plenário informal durante a COP26 em Glasgow, na Escócia, em 13 de novembro de 2021 (AFP/Ben STANSALL)

Os países em desenvolvimento também têm o "direito" de usar combustíveis fósseis, afirmou neste sábado (13) o ministro do Meio Ambiente da Índia, o que deixou evidente a falta de acordo na COP26.

Bhupender Yadav disse aos delegados que os países com pouca responsabilidade histórica pelas mudanças climáticas têm "direito a sua parte justa do orçamento global de carbono e têm direito ao uso responsável de combustíveis fósseis".

Além disso, Yadav denunciou que a mudança climática é "causada por estilos de vida insustentáveis e padrões de consumo que alimentam o desperdício", em uma referência aos países ricos.

"Como se pode esperar que os países em desenvolvimento façam promessas de eliminar o uso de carvão e os subsídios aos combustíveis fósseis?", questionou em Glasgow, antes de expressar o temor de que "o consenso continua sendo ilusório".

Anteriormente, o presidente da COP26, o britânico Alok Sharma, tinha pedido aos países que fizessem concessões para fosse possível chegar a um acordo, 24 horas depois do que deveria ter sido o encerramento da conferência.

"Por favor, não se preguntem o que mais podem buscar, mas perguntem a si mesmos o que é suficiente. Este pacote está equilibrado?", afirmou, ao lembrar que a temperatura média do planeta continua aumentando inevitavelmente, e a COP26 é a "hora da verdade para nosso planeta".

acc/jz/me/fp/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos