Índia lançará em 16 de janeiro sua enorme campanha de vacinação contra a covid-19

·1 minuto de leitura
Um profissional da saúde participa de uma simulação para a entrega da vacina contra o coronavírus Covid-19 realizada no hospital SSKM em Calcutá em 8 de janeiro de 2021.

Dentro de uma semana, a Índia iniciará uma das maiores campanhas de vacinação contra a covid-19 do mundo com o objetivo de imunizar 300 milhões de pessoas antes de julho, anunciou o primeiro-ministro Narendra Modi.

A vacina será gratuita para toda a população deste país de 1,3 bilhão de habitantes e o início desta operação está programado para 16 de janeiro. Será "um marco importante" na luta contra a pandemia, afirmou Modi.

A Índia é o segundo país mais afetado -depois dos Estados Unidos- pela covid-19, com mais de 10 milhões de casos detectados, enquanto a taxa de mortalidade é uma das mais baixas do mundo.

A primeira fase está direcionada para 30 milhões de indivíduos, entre profissionais da saúde e outros trabalhadores da linha de frente -incluindo as forças de segurança-, antes de ampliar para 270 milhões de pessoas com mais de 50 anos ou particularmente frágeis.

O governo deseja vacinar as primeiras 300 milhões de pessoas até o final de julho e já conduziu a organização de grandes centros de vacinação por todo o país.

Mais de 150.000 pessoas foram treinadas em 700 distritos e a logística incluirá 290.000 pontos de armazenamento para as doses em temperaturas controladas.

Pouco mais de 300 câmaras frigoríficas, 70 delas a temperaturas negativas, e outros 45.000 congeladores estão prontos para garantir o transporte e conservação das doses.

O governo da Índia autorizou o uso de duas vacinas: a da AstraZeneca/Universidade de Oxford e a indiana Bharat Biotech.

Nas últimas semanas, o número de novos casos detectados diariamente tem diminuído consideravelmente no país asiático.

ash/tw/jfx/ube/avz/mab/eg/gf