Índia prolonga confinamento pela COVID-19 até 31 de maio

Funcionário da saúde (e) mede a temperatura de um cliente antes que este entre em um salão de beleza em Nadiad, a cerca de 50 km de Ahmedabad

A Índia estendeu neste domingo (17) o confinamento pela pandemia de coronavírus até o final de maio, mas com possíveis flexibilizações para "facilitar as atividades econômicas", anunciou o Ministério do Interior em comunicado.

O texto diz que "as medidas de confinamento para conter a propagação da COVID-19 serão mantidas em vigor até 31 de maio", e a Autoridade Nacional de Gestão de Emergências acrescentou que as restrições serão modificadas "se for necessário para facilitar as atividades econômicas, enquanto se combate o vírus".

O confinamento, que afeta a 1,3 bilhão de pessoas, é o maior do mundo e está em vigor desde o fim de março, o que foi devastador para a população mais pobre do país, com milhões de trabalhadores que perderam seus empregos por não poder se deslocar.

Escolas, locais de culto, centros comerciais, cinemas e academias permanecerão fechados, afirmou o ministério. Grandes reuniões também continuam proibidas.

Os serviços de metrô nas cidades e os voos nacionais e internacionais também permanecem suspensos, acrescentou.

Será permitido trabalhar nas cozinhas dos restaurantes, mas apenas para vender comida para retirada ou para entrega à domicílio. Complexos esportivos e estádios podem organizar atividades, mas sem público nas arquibancadas.