Índia registra recorde de casos de Covid-19 e aumento de 13 vezes em dois meses

Krishna N. Das e Rama Venkat
·1 minuto de leitura
Profissional de saúde checa temperatura e pulso de passageiro em estação ferroviária de Mumbai, na Índia

Por Krishna N. Das e Rama Venkat

NOVA DÉLHI (Reuters) - A segunda onda de infecções pelo coronavírus da Índia continua a se avolumar, já que o país registrou um recorde de 115.736 casos novos nesta quarta-feira, um aumento de 13 vezes em meros dois meses que aumenta a pressão para o governo ampliar sua campanha de vacinação.

O governo federal indiano pede que os Estados decidam restrições regionais para controlar a disseminação do vírus, mas por enquanto se recusa a impor um lockdown nacional porque o último de 2020 devastou sua economia.

O número total de casos desde a primeira infecção registrada na Índia pouco mais de um ano atrás está em 12,8 milhões, o que faz dela o terceiro país mais atingido do mundo, só atrás de Estados Unidos e Brasil.

As mortes aumentaram em 630 – a maior cifra em quatro dias – e chegaram a 166.177, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

O aumento diário de novos casos atingiu 100 mil duas vezes nesta semana. O único outro país a registrar cifras deste tipo são os EUA.

As infecções diárias da Índia também ultrapassam o pico da primeira onda da epidemia, vista em setembro. No início de fevereiro, o país relatou 8.635 casos, uma baixa de muitos meses.

Como a segunda onda está ganhando ímpeto, as autoridades de muitos Estados – incluindo Maharashtra, o mais assolado – ordenaram novas restrições regionais para conter o vírus, algumas variantes do qual se tornam mais infecciosas.

(Por Krishna N. Das, Rama Venkat, Jatindra Dash, Sanjeev Miglani e Rajendra Jadhav)