Índice europeu toca máxima em 1 mês com esperança de que crise do coronavírus possa estar diminuindo

Por Susan Mathew e Sagarika Jaisinghani
Bolsa de valores de Frankfurt, Alemanha

Por Susan Mathew e Sagarika Jaisinghani

(Reuters) - As ações europeias subiram pelo segundo dia consecutivo nesta terça-feira, com os investidores focando em sinais de que a pandemia de coronavírus possa estar diminuindo.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 1,74%, a 1.285 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 1,88%, a 327 pontos, máxima em quase um mês.

As ações alemãs lideraram a alta, subindo 2,8%, enquanto os índices espanhol e italiano avançaram mais de 2% depois de uma desaceleração nas novas infecções registradas na Itália, na Espanha e em partes mais afetadas dos Estados Unidos.

"As últimas notícias sobre o vírus estão alinhadas com nosso cenário central, no qual a pandemia atinge um pico na Europa no início de abril e nos EUA em meados de abril. Isso permite que os esforços de supressão sejam relaxados a partir de meados de maio", disse Mark Haefele, diretor de investimentos global em gestão de patrimônio do UBS.

O setor de viagens e lazer foi destaque, impulsionado por um aumento gritante de 49% nas ações da Cineworld depois que a empresa disse que está em negociações com os credores para suas necessidades de liquidez o confinamento das pessoas a forçou a fechar todas as suas 787 salas de cinema em 10 países.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 2,19%, a 5.704 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 2,79%, a 10.356 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 2,12%, a 4.438 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 2,19%, a 17.411 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 2,30%, a 7.002 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,27%, a 4.069 pontos.