'Ódio não leva a lugar nenhum', diz Preta Gil ao repudiar ameaças sofridas por Nego Di do BBB 21

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 10.11.2017 - A cantora Preta Gil. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 10.11.2017 - A cantora Preta Gil. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cantora Preta Gil, 46, repudiou as ameaças sofridas pelo humorista e ex-participante do BBB 21 Nego Di. Na opinião dela, é inadmissível cancelar as pessoas do lado de fora do reality.

"Insisto em falar sobre esse excesso de ódio pelos participantes do BBB. Eu não concordo com as atitudes de muitos ali dentro, mas não vou fazer aqui fora justamente o que criticamos que eles fazem lá dentro", começou a cantora em postagem no Instagram.

"Ódio não leva a lugar nenhum. Não gosto, não sigo, não consumo o trabalho da pessoa, mas não desejo o mal para eles e sim o crescimento e amadurecimento. Que eles, ao saírem, revejam suas atitudes e aprendam, só isso", continuou.

Preta diz que ficou com o coração partido ao ver que a mãe e o filho pequeno de Di teriam sido ameaçados. "É isso que queremos? Temos que refletir também sobre esse tipo de espectadores que somos aqui fora. Eu não sou e nunca serei essa pessoa que quer cancelar, aniquilar a vida deles", encerrou.

Em conversa com Ana Maria Braga, Nego Di disse que ficou devastado quando chegou no hotel e entendeu a forma como estava sendo visto fora da casa. "Tu vê pessoas que considerava amigos te virando as costas, famosos fazendo campanha contra você. Sofri muitas ameaças, inclusive de morte. Meu filho não está indo para escola por causa disso. Não acredito que tenha feito algo para ser ameaçado de morte, para a minha família ser ameaçada. Fui eu mesmo de acordo com o que eu podia ver lá dentro."

Ele ainda culpou Karol Conká pela rejeição recorde que teve no Paredão do BBB 21. Ele foi eliminado na noite de terça (16) com 98,76% dos votos.

O humorista disse que não conseguiu dormir nem comer durante a madrugada, e que ficou analisando os vídeos do jogo, especialmente, os que mostravam Karol Conká. "O sentimento para mim é que eu cai no grupo errado [...] Ela [Karol Conká] jogou comigo, me senti usado para caramba. Depois, eu nunca fui de acordo da forma como ela tratava as pessoas", disse.

Nego Di afirmou também que chegou a avisar Karol Conká que Lumena era muito radical, mas que não tinha noção do "quão graves eram algumas atitudes delas" por não ter uma visão ampla do jogo e por afirmar que na frente dele elas não agiam desta forma.