Arábia Saudita inaugurará sala de cinema após décadas de proibição

Riad, 17 abr (EFE).- A capital da Arábia Saudita, Riad, fará nesta quarta-feira a primeira exibição de um filme em uma sala de cinema após mais de três décadas de suspensão devido à imposição de severas restrições no país.

A tão aguardada cerimônia de inauguração do primeiro cinema contará com a presença de vários nomes da indústria cinematográfica e cultural.

O filme escolhido para ser exibido na ocasião é "Pantera Negra" e os ingressos custarão 50 riales (R$ 45), segundo a decisão da AMC Entertainment.

A empresa americana assinou no dia 12 de dezembro do ano passado um memorando de entendimento com o Fundo de Investimentos Públicos na Arábia Saudita para explorar formas de exibir e distribuir conteúdo cinematográfico.

A exibição do filme ocorrerá em uma sala de 620 assentos. O Ministério de Cultura e Informação saudita não anunciou mais detalhes sobre a inauguração nem sobre a venda de entradas.

Ainda não foi divulgado se homens e mulheres se juntarão na mesma sala, já que no reino saudita há normas de comportamento muito restrito e nos espaços públicos é exigida a separação de sexos.

O governo saudita prevê que o setor do cinema pode contribuir com 90 bilhões de riales (R$ 82 bilhões) ao PIB e que possa criar 30 mil postos de trabalho permanentes e mais de 130 mil temporários até 2030.

As salas de cinema foram fechadas na Arábia Saudita nos anos 80 após o endurecimento das normas e a imposição de severas restrições às liberdades individuais, à cultura, ao lazer e a todas as manifestações artísticas.

A decisão das autoridades sauditas de dar licenças para abrir salas de cinema ocorre em meio à política de "abertura" adotada pelo príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, em junho de 2017. EFE