Ômicron pode acelerar o fim da pandemia pelo menos na Europa, aponta OMS

·1 min de leitura

A nova onda da variante Ômicron pode acelerar o fim da pandemia da covid-19 na Europa, afirmou Hans Kluge, o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o continente europeu. No entanto, a OMS também estima que a cepa pode infectar mais de 50% dos europeus até o final de fevereiro.

"Assim que a onda da [variante] Ômicron se acalmar, haverá imunidade por algumas semanas e meses, seja graças à vacina ou porque as pessoas terão sido imunizadas pela infecção, e também uma queda devido à sazonalidade", afirmou Kluge, durante conversa com a Agence France-Presse (AFP).

Avanço da Ômicron pode representar o fim da pandemia da covid-19 (Imagem: Reprodução/RW Footage/Envato)
Avanço da Ômicron pode representar o fim da pandemia da covid-19 (Imagem: Reprodução/RW Footage/Envato)

Vale lembrar que, no momento, a Europa passa pelo inverno. Normalmente, este costuma ser o período no qual as doenças respiratórias são transmitidas com mais facilidade, o que inclui o vírus da covid-19. O verão, que por lá acontece de junho a setembro, pode ser considerado um aliado contra a pandemia.

Fim da pandemia?

Diante desse cenário, "é plausível que a região esteja se aproximando do fim da pandemia", defendeu Kluge. No entanto, o diretor da OMS pede cautela. Isso porque as previsões podem mudar com o surgimento de novas cepas de regiões do globo onde há baixa vacinação, como ocorreu com Ômicron.

Além disso, a Europa ainda não está numa "era endêmica", reforça Kluge. "Endêmico significa [...] que podemos prever o que vai acontecer; esse vírus surpreendeu mais de uma vez, então temos que ter cuidado", completou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos