Ônibus: rodoviários de Niterói vão participar de estudos sobre mudanças no setor

Após a prefeitura anunciar a contratação da UFRJ para realizar a avaliação do equilíbrio econômico-financeiro e da sustentabilidade dos contratos de concessão do serviço público de transporte coletivo de passageiros por ônibus da cidade, o Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) enviou um ofício ao Executivo solicitando a participação da categoria na elaboração da nova modelagem.

Até uma hora de espera: moradores do Barreto, em Niterói, sofrem com escassez de ônibus

Contexto: Empresas de ônibus querem reduzir número de veículos nas ruas de Niterói

De acordo com a entidade, os trabalhadores querem que o estudo inclua os reajustes anuais dos rodoviários, cuja data-base é 1º de novembro, para que se evitem perdas salariais da categoria. Em outro ponto, o documento do sindicato defende que o sistema de financiamento do setor deixe de ser apenas pelo pagamento de passagens pelos usuários, modelo que já se mostrou ineficaz e que tem provocado prejuízos tanto para os trabalhadores quanto para a população

— Um levantamento, feito pelo sindicato e encaminhado a diversas instâncias do poder público ano passado, mostra como alguns dos principais centros urbanos do mundo e do país adotaram novos modelos de transporte público. Os rodoviários, que já tiveram perdas salariais consideráveis ao longo da pandemia, definiram que as negociações salariais com os patrões terão por base o IPCA acumulado nos últimos 12 meses antes da data-base, recompondo assim as perdas dos trabalhadores e garantindo mais um percentual de aumento real — explica o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira.

A Secretaria municipal de Urbanismo e Mobilidade informa que essa reivindicação já havia sido encaminhada e que será atendida. A prefeitura afirma ainda que fará uma reunião com o sindicato, mas não informou a data do encontro.

Ainda de acordo com a secretaria, o estudo de equilíbrio será realizado de forma independente e tem como objetivo fazer o levantamento das disparidades que foram geradas no contrato de concessão do serviço público de transporte coletivo municipal nos últimos cinco anos. Esse estudo leva em consideração os investimentos realizados, por parte dos concessionários, no sistema de transporte durante esse período. Ele leva em conta também os investimentos feitos pelo poder público, como repasse do auxílio emergencial de idosos, realizado no ano passado, e analisa ainda as questões relativas aos impactos da pandemia no setor.