Última feira do empregos do ano reúne 800 pessoas no Maracanã em busca de 575 vagas

Letycia Cardoso

A Comunidade Católica Gerando Vidas promoveu a última feira de empregos de 2019, nesta quarta-feira (dia 18), na sede do Sindicato de Telefonia do Rio de Janeiro (Sinttel), na Rua Morais e Silva 94, no bairro do Maracanã, na Zona Norte do Rio. Segundo relatos de trabalhadiores, 2019 foi um ano de muitas dificuldades. O país tem cerca de 13 milhões de pessoas desempregadas. Mas a esperança de um 2020 melhor é o que move todos aqueles que esperavam na fila desde cedo.

Aline Almeida, de 35 anos, foi à feira na esperança de um 2020 totalmente diferente. Desempregada há um ano, ela contou que sustenta  dois filhos de 8 e 3 anos com a ajuda da mãe, enquanto não consegue uma recolocação profissional.

— Eu era atendente de farmácia. Mas até agora não consegui nenhuma outra chance — disse.

Cerca de 800 candidatos compareceram à ação desta quarta-feira, que ofereceu encaminhamento para 575 vagas, dentre elas, oportunidades para as funções de enfermeiro, caixa, ajudante de cozinha, açougueiro, pizzaiolo, operador de depósito, auxiliar de serviços gerais e atendente de balcão, entre outros.

Profissionais de Recursos Humanos da empresa de seguros Sinaf e da consultoria Luandre também estiveram no local para entrevistar candidatos a vagas de corretor e a oportunidades na área de Saúde, respectivamente.

De acordo com o organizador do evento, Paulo Vasconcelos, nos últimos anos, cresceu consideravelmente a média de tempo que as pessoas levam procurando um emprego:

— Há quatro anos, as pessoas que atendíamos estavam desempregadas há, no máximo, seis meses. Agora, estão há dois anos ou mais.

Álvaro Alves de Souza Júnior, de 41 anos, é um exemplo. Mesmo com ensino médio completo, ele encontra-se desempregado há três anos.  A última experiência que teve foi como encarregado de andaime. Agora, ele ganha dinheiro informalmente fazendo um bico como garçom.

Moro uma com minha companheira, que também está desempregada- conta:

— A situação é difícil. Tanto o aluguel quanto a pensão do meu filho estão atrasadas.

Desempregado há um ano e oito meses, Wallace Clementino da Silva, de 51 anos, também estava em busca de uma vaga. Com experiência como motorista e técnico de computador, ele esperava se candidatar para uma vaga como repositor de hortifruti.

O próximo atendimento está previsto para 7 de janeiro, também no Sinttel. Mais informações sobre os postos de trabalho e seus requisitos poderão ser encontrados na página www.facebook.com/somosgerandovidas.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)