Os últimos acontecimentos ligados ao novo coronavírus no mundo

Mais de 40 mortes (para mais de 2.900 casos de contágio confirmados) foram registradas fora da China, de acordo com a OMS

Uma lista de países afetados que não para de crescer, a Arábia Saudita que proibiu a entrada de peregrinos em Meca, escolas fechadas, bolsas em queda: confira abaixo os principais acontecimentos no mundo ligados ao novo coronavírus nas últimas 24 horas.

- Mais de 45 países afetados -

O novo coronavírus infectou mais de 81.000 pessoas e matou mais de 2.760 em todo mundo, de acordo com o último relatório oficial divulgado na quarta-feira à noite (26) pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mais de 40 mortes (para mais de 2.900 casos de contágio confirmados) foram registradas fora da China, de acordo com a OMS. Esse número chega a mais de 60, se forem contabilizados os óbitos mais recentes anunciados por alguns países e ainda não contados pela organização.

A epidemia, que apareceu em dezembro na China, parece ter atingido um pico. Nesta quinta-feira, as autoridades chinesas anunciaram 29 novas mortes em 24 horas, o número mais baixo em quase um mês. E o número diário de novas infecções agora é maior fora da China, conforme a OMS.

O coronavírus apareceu em vários novos países - Estônia, Dinamarca, Grécia, Noruega, Macedônia do Norte, Romênia, Geórgia, Paquistão e Brasil -, elevando o número de países afetados para mais de 45.

A Coreia do Sul, a segunda maior fonte de contaminação após a China, contabilizava nesta quinta-feira cerca de 1.600 casos e 12 mortes, enquanto o Irã registra 26 óbitos para 245 casos relatados.

Na Europa, a Itália, o país mais afetado, atingiu na quarta 400 casos e 12 mortes. Na França, são dois mortos para 18 casos de infecção.

A América Latina registrou seu primeiro caso na quarta-feira: um brasileiro que retornou da Lombardia.

- Peregrinação e exercícios militares suspensos -

A Arábia Saudita suspendeu temporariamente, nesta quinta-feira (27), a entrada em seu território de muçulmanos que desejam realizar a Urma, peregrinação a Meca que pode ser realizada em qualquer momento do ano. O Hajj, por sua vez, que acontece uma vez ao ano, está planejado para julho-agosto.

O Irã anunciou restrições à livre-circulação no país para pessoas infectadas, ou suspeitas de estarem infectadas.

Estados Unidos e Coreia do Sul anunciaram a suspensão de exercícios militares conjuntos.

- Estados Unidos preparados -

O presidente americano, Donald Trump, disse na quarta-feira (26) que os Estados Unidos, país relativamente poupado até o momento, estão prontos para responder à epidemia em "uma escala muito maior".

"Os hospitais de alguns estados estão liberando leitos e construindo espaços de quarentena", afirmou, garantindo que a ampla disseminação no país "não é inevitável".

- Escolas fechadas -

O Japão anunciou o fechamento temporário de escolas e faculdades de segunda-feira até as férias de primavera. Quanto à Coreia do Norte, que não registrou nenhum caso, o início do ano letivo foi adiado por tempo indeterminado.

As autoridades iraquianas estão fechando escolas, universidades, cinemas e cafés até 7 de março.

- Esporte e economia afetados -

Marcada para 7 de março em Dublin, a partida de rúgbi do Torneio das Seis Nações entre Irlanda e Itália foi adiada para uma data desconhecida.

As finais da Copa do Mundo de esqui serão disputadas em Cortina (Itália), de 18 a 22 de março, mas sem público.

No setor econômico, as bolsas de valores globais continuam em queda, e as companhias aéreas sofrem com a epidemia. A Air France adotará medidas de contenção de perdas, que vão do corte de despesas até o congelamento de certas contratações.