Morrem 28 membros do EI em local que EUA lançaram bomba GBU-43 no Afeganistão

Cabul, 26 abr (EFE).- Pelo menos 28 integrantes do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) morreram nas últimas 24 horas em operações das forças afegãs no distrito de Achin, no leste do Afeganistão, onde os Estados Unidos lançaram um projétil GBU-43, apelidado de "a mãe de todas as bombas", há dez dias.

O porta-voz da polícia da província de Nangarhar, Hazrat Mashriqiwal, informou nesta quarta-feira à Agência Efe que as mortes foram resultado de operações terrestres e aéreas que começaram há um mês na região contra o EI e que continuaram depois do bombardeio de 13 de abril.

As forças de segurança ainda não conseguiram chegar ao local do impacto do projétil, pois a área está infestada de minas. Foi justamente por esse motivo que as forças americanas decidiram utilizar a "mãe de todas as bombas".

"As forças de segurança afegãs estão próximas do local onde as forças americanas lançaram a bomba contra os esconderijos de terroristas do EI", detalhou Mashriqiwal.

O governo de Nangarhar confirmou em um comunicado que a operação ocorreu nas áreas de Assad Khil e Ragha, no distrito de Achin, onde também foram recuperadas algumas armas.

Achin é considerado o principal reduto do Estado Islâmico no Afeganistão e foi alvo do bombardeio americano em 13 de abril com um projétil GBU-43 que produziu, segundo fontes oficiais, cerca de 100 mortes entre os integrantes do grupo jihadista.

O governo afegão tinha afirmado dias antes que o número de insurgentes do EI no país era inferior a 400 e que, em 2016, abateu por volta de 2.500 membros do grupo, o que reduziu sua presença para apenas duas das 34 províncias afegãs. EFE