Últimos reatores de usina nuclear controlada pela Rússia são desconectados da rede após incêndio próximo, diz Ucrânia

Usina Nuclear de Zaporizhzhia

KYIV (Reuters) - Os dois últimos reatores em funcionamento da usina nuclear de Zaporizhzhia, controlada pela Rússia, foram desconectados da rede elétrica da Ucrânia nesta quinta-feira, depois que incêndios nas proximidades danificaram linhas de transmissão aéreas, disse a empresa nuclear estatal ucraniana Energoatom.

Incêndios ocorreram nos poços de cinzas de uma usina de carvão localizada perto da usina de Zaporizhzhia, a maior instalação nuclear da Europa, e danificaram as linhas de energia que a conectam à rede, afirmou a empresa.

"Como resultado, as duas unidades de energia em funcionamento da estação foram desconectadas da rede", disse a Energoatom em comunicado.

Os sistemas de segurança da usina estão funcionando normalmente e o trabalho está em andamento para reconectar um dos blocos do reator à rede, segundo a empresa.

Um funcionário de energia que não quis ser identificado disse à Reuters que os dois reatores que foram desconectados estão sendo alimentados por geradores a diesel.

Cada unidade de energia, que inclui um reator, um sistema de refrigeração e outros equipamentos, tem três geradores a diesel da era soviética que "não podem funcionar por semanas", afirmou a fonte.

A Rússia, que invadiu a Ucrânia em fevereiro, capturou a usina de Zaporizhzhia em março e a controla desde então, embora continue sendo operada por técnicos ucranianos da Energoatom.

A usina tem seis reatores no total.

(Reportagem de Natalia Zinets, Max Hunder e Pavel Polityuk)