Últimos stories de Gal Costa têm cantora fazendo o 'L' e lembrança de arte com nudez censurada

Na última postagem da terça-feira no Stories do Instagram, Gal Costa, que morreu nesta quarta, aos 77 anos, compartilhou uma arte de Luiz Jasmin que iria para disco de 1969, se não fosse a censura vigente na ditadura militar, instalada desde 1964 no país.

Batizado de "Gal", ele tinha nove faixas, incluindo "Cinema Olympia", composta por Caetano Veloso, "Com Medo, Com Pedro", de Gilberto Gil, "Meu nome é Gal", de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, e "País tropical", de Jorge Ben. Muitos críticos classificam o álbum como o mais psicodélico da carreira da artista e um dos mais importantes da Tropicália.

No Twitter, ela já havia tratado deste assunto em julho deste ano.

Antes de publicar esta arte, Gal postou um curto vídeo seu um sinal de L com os dedos.