As únicas pessoas neste palco que venceram todas as eleições em que estiveram são as mulheres, diz Warren

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Passada quase uma hora do debate entre os pré-candidatos democratas em Iowa, nesta terça (14) à noite, a mediadora Abby Philip levantou a questão do momento: ela perguntou ao senador Bernie Sanders sobre a afirmação da senadora Elizabeth Warren de que, em 2018, ele teria dito que uma mulher não pode ser eleita presidente dos EUA.

Sanders negou de uma tacada só, afirmando que não fez tal afirmação e que não queria perder tempo com este assunto, pois isso "é o que Trump e o que a mídia querem".

"Como alguém em um milhão de anos não acredita que uma mulher não pode se tornar presidente?", disse ele, lembrando que Hillary Clinton ganhou o voto popular nas eleições de 2016 por milhões de votos para ser a candidata democrata a concorrer contra Donald Trump.

Warren deixou claro que é, sim, o momento de abordar a questão sobre se uma mulher pode ganhar. "Uma mulher pode derrotar Donald Trump?", perguntou, respondendo que todos os candidatos homens do debate haviam perdido coletivamente dez eleições, ao passo em que "as únicas pessoas neste palco que venceram todas as eleições em que estiveram são as mulheres". Além dela mesma, Warren se referia à senadora por Minnesota, Amy Klobuchar, à sua esquerda.

Warren argumentou que as candidatas na era Trump venceram os republicanos em muitos estados em 2018. Klobuchar falou que não é preciso beleza física para sair vencedora, e sim competência, e emendou com exemplos: Gretchen Esther Whitmer, governadora de Michigan, e Laura Kelly, do Kansas. Klobuchar completou que em anos passados ela já ganhou "nos distritos mais vermelhos (em referência aos republicanos), em áreas suburbanas e rurais".

A mediadora devolveu a palavra a Sanders, que tentou desconversar dizendo que a questão real é como derrotar Trump. Warren voltou ao tema central, afirmando que mulheres se saíram melhor do que homens em votações pois contaram com votos de outras mulheres.

Momentos mais cedo, o presidente Donald Trump havia afirmado, em um comício em Wisconsin, que não acreditava que Sanders teria dito que uma mulher não pode ser eleita. "Não é o tipo de coisa que ele diria", afirmou, acrescentando que não conhece Sanders e não gosta dele.

Na segunda (13), Warren (senadora de Massachusetts) afirmou que Sanders (senador de Vermont) havia lhe dito em 2018 que não achava que uma mulher pudesse ser eleita para a Presidência dos EUA.

A descrição de Warren do comentário, feito em uma reunião particular, mostra um forte ataque de seu principal rival de esquerda na corrida para a eleição de 2020.

Sanders negou veementemente o comentário e acusou a equipe da campanha de Warren de "mentir" sobre isso, em um comunicado que pretendia refutar uma reportagem da CNN baseada em fontes anônimas.

Warren, em um comunicado na noite de segunda-feira, disse que Sanders fez o comentário em uma reunião de duas horas em dezembro de 2018, onde discutiram a eleição de 2020 e "nosso trabalho passado juntos e nossos objetivos comuns", em especial, derrotar o presidente Donald Trump.

O debate desta terça foi o sétimo na corrida para decidir quem será o democrata que enfrentará Donald Trump nas eleições de novembro, e ocorre apenas três semanas antes das convenções do partido democrata em Iowa, consideradas um momento decisivo na corrida.

Além de Sanders, Warren e Klobuchar, participaram do debate na televisão o ex-presidente Joe Biden, o ex-prefeito da cidade de South Bend Pete Buttigieg e o empresário Tom Steyer.