10 líderes mundiais foram assassinados desde 2000; saiba quais

Shinzo Abe, ex-premiê do Japão morto na semana passada, está entre os líderes mundiais assassinados neste século. (Foto: REUTERS/Issei Kato)
Shinzo Abe, ex-premiê do Japão morto na semana passada, está entre os líderes mundiais assassinados neste século. (Foto: REUTERS/Issei Kato)
  • Shinzo Abe, morto na sexta-feira passada, é o décimo entre os assassinados

  • Lista de líderes mundiais incluem presidentes e primeiros-ministros

  • Dois assassinatos ocorreram no ano passado

Na última sexta-feira (8), o ex-premiê japonês Shinzo Abe foi morto aos 67 anos. Ele foi baleado no peito em meio a um discurso em Nara, cidade do Oeste do Japão.

Desde o ano 2000, dez presidentes e primeiros-ministros, incluindo Shinzo, foram assassinados em todo o mundo. Veja quais são:

Laurent Kabila, presidente do Congo, foi morto no dia 18 de janeiro de 2001, aos 55 anos. O crime ocorreu dentro do palácio presidencial em Kinshasa, capital do país. O atirador era um de seus seguranças pessoas, e foi morto por forças de segurança minutos depois.

O rei do Nepal Birendra foi morto quando seu filho, o príncipe Dipendra, abriu fogo contra a família no palácio real, em 1º de junho de 2001. Além do rei, também foi assassinada a rainha Aiswarya, um príncipe e outras cinco pessoas. Autoridades afirmam que o tiroteio começou por conta de uma briga sobre o casamento do príncipe. Ele tinha 55 anos.

No dia 13 de março de 2003, o primeiro-ministro da Sérvia Zoran Djindjic foi morto, aos 50 anos, em frente à sede do governo, em Belgrado. Doze pessoas foram condenadas pelo assassinato. Eles teriam cometido o crime por estarem descontentes com reformas pró-ocidente realizadas pelo político.

Rafik Hariri, 60, primeiro-ministro do Líbano, foi morto em uma explosão de um caminhão bomba suicida, em uma avenida de Beirute, capital do país, no dia 14 de fevereiro de 2005. O ataque deixou outras 21 pessoas mortas e 226 feridas.

Benazir Bhutto, a primeira mulher premiê de um país majoritariamente muçulmano e a segunda primeira-ministra eleita nacionalmente no Paquistão, foi morta a tiros em um ataque de um homem-bomba durante um evento político em Rawalpindi, no Paquistão, em 27 de dezembro de 2007. Ela tinha 54 anos.

O presidente João Bernardo Vieira, 69 anos, de Guiné-Bissau, foi morto por soldados renegados em seu palácio, em 2 de março de 2009. Algumas horas antes, um ataque a bomba matou seu maior rival político da época.

No dia 20 de outubro de 2011, o ditador libanês Moammar Gadhafi, 69 anos, foi caçado e morto por forças insurgentes, durante uma revolta de escala nacional apoiada pela Otan.

Em 20 de abril do ano passado, o presidente do Chade Idriss Deby Itno foi morto durante um confronto com rebeldes no Norte do país. Horas antes de seu assassinato, ele havia ganhado as eleições.

Também no ano passado, em 7 de julho de 2021, Jovenel Moise, 53, presidente do Haiti, foi assassinado por um grupo de mercenários a tiros em sua casa em Porto Príncipe. No ataque, sua esposa também ficou ferida. Mais de 40 pessoas já foram presas no país por relação com o crime, incluindo oficiais da política de alta patente e ex-soldados colombianos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos