Quase 100.000 casos de COVID-19 confirmados oficialmente no Irã

Consumidores usam máscaras e luvas no Tajrish Bazaar na capital iraniana de Teerã

Os casos oficialmente confirmados de COVID-19 se aproximam dos 100.000 no Irã, segundo dados divulgados nesta terça-feira (05) pelo governo de Teerã.

Nas últimas 24 horas, 1.323 pessoas a mais testaram positivo ao vírus, elevando o número de casos confirmados no Irã para 99.970, declarou o porta-voz do Ministério da Saúde, Kianouche Jahanpour, durante sua intervenção diária televisionada.

Ao mesmo tempo, 63 pessoas morreram pelo vírus, acrescentou. Com isso, o número de mortos no Irã sobe para 6.340, segundo o balanço oficial. O Irã é de longe o país mais afetado pela epidemia no Oriente Médio e Próximo.

Os dados do governo, no entanto, são considerados amplamente subestimados por alguns especialistas estrangeiros, e também por várias autoridades iranianas.

Para conter a propagação da doença, o Irã - que anunciou seus primeiros casos em fevereiro - adotou várias restrições, mas sem impor um confinamento ou quarentena.

As mesquitas iranianas, fechadas desde meados de março para evitar a propagação do novo coronavírus, reabriram a partir desta segunda-feira em 30% dos condados do Irã.

Desde 11 de abril, o Estado começou a autorizar a abertura progressiva de comércios e a suspensão das restrições de deslocamentos no interior do país.

Colégios, universidades, cinemas, estádios e outros locais de aglomeração continuam fechados em todo o país.