11.000 pessoas perdem o emprego na casa mãe do Facebook

São 11.000 as pessoas despedidas pela casa mãe do Facebook, Meta. O equivalente a cerca de 13% dos seus trabalhadores. Mark Zuckerberg assumia que as coisas não correram como esperado e depois do boom, durante a pandemia de Covid-19, as perdas acumulam-se com o comércio online a voltar a retrair-se. A redução nas receitas deve-se também ao aumento da concorrência.

Zuckerberg assumia responsabilidade, as coisas não correram como esperava, o que levou a que seja preciso fazer uma reestruturação. Mais cortes, nos custos, serão implementados nos próximos meses.

Os empregados despedidos receberão 16 semanas de salário base, mais duas semanas adicionais por cada ano com a empresa. O seguro de saúde de que usufruiam, com as suas famílias continuará ativo durante seis meses.

Na semana passada, outra rede social, o Twitter tinha despedido cerca de metade dos seus 7.500 empregados.