As 11 maiores revelações do Brasileirão 2022

Na temporada em que foi ao mercado como nunca antes, o Athletico Paranaense fez a maior contratação de sua história: pagou a multa de R$ 24 milhões e tirou Vitor Roque do Cruzeiro. O investimento valeu a pena. Apesar de o Furacão não ter conquistado títulos de peso este ano, suas campanhas foram outra vez de destaque, o que teve a ver com o desempenho do atacante de apenas 17 anos. Por isso, ele foi eleito pela equipe do GLOBO e especialistas convidados a maior revelação do Brasileirão 2022.

Confira os rankings de revelações de 2017, 2018, 2019, 2020 e 2021

Para ser elegível, o jogador deve ser sub-23 (nascido de 1999 para cá); ter disputado ao menos um terço das partidas deste Brasileiro (o palmeirense Endrick fez apenas sete, por exemplo, e concorrerá no ano que vem); e não ter entrado na votação de temporadas anteriores (o rubro-negro João Gomes e o corintiano Du Queiroz, destaques na Série A, já estavam na última safra).

Vitor Roque fez 29 partidas na competição e marcou cinco gols. Oscilou entre momentos de titularidade e outros em que saiu do banco de reservas, uma característica coerente com sua juventude. Ainda assim, mostrou seu valor como homem de área, mas capaz de flutuar por todo o setor ofensivo. Foi além da Série A e brilhou inclusive no vice-campeonato do Athletico na Libertadores.

— Ele é um tipo de camisa 9 que eu não gostaria de enfrentar. Preferiria um grandão que não se movimenta muito e não um baixinho e chato — brincou o técnico Felipão, responsável por conduzi-lo nesta temporada. — Ele vai crescer muito, o Brasil vai olhar para ele com muito gosto.

Outros nomes que brilharam este ano completam o pódio do GLOBO: Jeffinho, atacante que o Botafogo foi buscar por empréstimo no Resende para compor seu time B e acabou usando com regularidade no principal, e Vitão, zagueiro titular do vice-campeão Internacional.

Vitor Roque é o sexto jogador eleito a revelação do Brasileiro pelo GLOBO: em 2017, o escolhido foi o meio-campista Arthur (ex-Grêmio, hoje no Liverpool); em 2018, o atacante Pedro (à época no Fluminense e agora no Flamengo); em 2019, o ponta Michael (então no Goiás, hoje no Al-Hilal); em 2020, o meia e lateral Gabriel Menino ( Palmeiras); e em 2021, o volante André, também do Fluminense.

(Participaram da votação Alexandre Lozetti, Ana Thaís Matos, Bernardo Coimbra, Breno Angrisani, Bruno Marinho, Caio Blois, Carlos Eduardo Mansur, João Pedro Fonseca, João Pedro Fragoso, Laís Malek, Marcello Neves, Martín Fernandez, Sanny Bertoldo, Tatiana Furtado, Thales Machado e Vitor Seta)