13 rótulos de cachaça que revelam quão brasileira é a nossa branquinha

Luiza Belloni

Não é nem sexta-feira, mas já podemos comemorar o Dia Nacional da Cachaça, celebrado neste dia 13 em todo o Brasil.

Como já foi explicado por aqui, a cachaça tradicional é um dos patrimônios culturais do Brasil e só pode levar o nome cachaça se for feita por aqui. Em outros países, você vai encontrar, no mais parecido, uma "aguardente".

A cachaça começou a ser produzida em 1532, no Engenho São Jorge, quando o colonial português Martin Afonso de Souza trouxe para a capitania de São Vicente as primeiras mudas de cana-de-açúcar plantadas no estado de São Paulo, e, desde então, caiu no gosto dos brasileiros.

Hoje é possível encontrar centenas de rótulos -- literalmente para todos os gostos. Algumas marcas de cachaça, inclusive, são verdadeiras provas de que a branquinha só poderia ser obra de brasileiro mesmo, veja:

1. Aquela sem critérios após a quarta dose

(Reprodução)

2. Aquela com variedade de nomes literais

(Reprodução)

3. Aquela que promete milagres

(www.mapadacachaca.com.br)

4. Aquela que não se importa com a epidemia de inverno

(Reprodução)

5. Aquela pinguinha acessível

(www.mapadacachaca.com.br)

6. Aquela que não parou no tempo e se reinventou diante de novas tecnologias

7. Aquela do nome sugestivo

8. Aquela amiga para os momentos da vida

9. Aquela que transmite a mais pura verdade sobre os apreciadores da cachaça

10. Aquela que transmite a mais pura verdade sobre os apreciadores da cachaça [2]

(Reprodução/Outer Space)

11. Então...

13. Aquela sem vergonha

"De pai para filho desde 1924."

E você? Se lembra de algum outro rótulo de cachaça que captura a real essência brasileira?

LEIA MAIS:

Continue a ler no HuffPost