Escolas públicas e particulares de São Paulo aderem à greve e não têm aulas

Foto: Willian Moreira/Futura Press

EDUARDO GERAQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A greve geral convocada para esta sexta-feira (28) provocou o fechamento de várias escolas particulares e públicas da capital.

Na zona oeste, as tradicionais Palmares e Santa Cruz não receberam os alunos nesta sexta-feira (28). O mesmo ocorreu nos colégios Sion e Equipe, em Higienópolis.

Os professores do Equipe prometem fazer duas aulas públicas ao longo do dia no Largo Santa Cecília para discutir temas relacionados à educação.

No Rio Branco, também em Higienópolis, houve aula. Assim como no tradicional Dante Alighieri, nos Jardins. Outro colégio particular que não foi atingido pela greve é o Arquidiocesano.

No Dante, no horário de entrada dos alunos, o movimento era abaixo do normal. Um pai que conversou com a reportagem [preferiu não dar o nome] disse que muitos alunos deveriam faltar hoje. Mas a direção da escola anunciou que as aulas seriam normais.

Na zona sul, Elvira Brandão, Santa Maria e Nova Escola também suspenderam suas aulas nesta sexta (28) porque os professores decidiram pelo apoio à greve.

Na Nova Escola as aulas serão repostas no dia 10 de junho, um sábado.

Na rede pública, tanto escolas estaduais quanto municipais não tiveram aula.

Na escola municipal Paulo Nogueira Filho, na Casa Verde, mesmo com a promessa do prefeito Doria de cortar o ponto dos manifestantes, não houve aula. Nem funcionários, nem professores e nem alunos apareceram.

Na Freguesia do Ó, zona norte, a parte administrativa da escola municipal Maffei Vita funciona normalmente nesta manhã.

Mas não houve aula, segundo a secretaria, porque os alunos não vieram estudar.

A escola Estadual Doutro Alarico Silveira, na regia de Campos Eliseos, está trancada. Sem aulas também.