2 - ATUALIZADA- Primeira-ministra pede unidade aos britânicos após início da saída da UE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A primeira-ministra Theresa May pediu nesta quarta-feira (29) no Parlamento unidade ao povo britânico pouco depois de iniciar a ruptura com a União Europeia, que, segundo ela, não tem volta.

"Chegou o momento de nos unirmos e de trabalharmos juntos para conseguir o melhor acordo", afirmou May.

A declaração foi feita minutos depois que o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, recebeu em Bruxelas a carta britânica notificando oficialmente a saída do Reino Unido do bloco europeu.

"Não haverá volta", enfatizou May.

A primeira-ministra assinou na véspera a carta oficial que foi enviada nesta quarta (29) a Bruxelas para estipular que o Reino Unido inicie as negociações para deixar a União Europeia.

May ligou, antes de assinar a carta, para Tusk e para a chanceler alemã, Angela Merkel.

Foi o embaixador britânico ante a União Europeia, Tim Barrow, que entregou a carta a Tusk.

"Após nove meses, o Reino Unido cumpriu (com suas promessas) #Brexit", tuitou o presidente do Conselho Europeu pouco depois de receber a carta.

As negociações da ruptura propriamente ditas começarão no fim de maio, início de junho, e o primeiro "cara a cara" entre May e os líderes dos 27 está marcado para 22 de junho.

RESTO DA EUROPA

A porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel disse após a entrega da carta que o Reino Unido continua sendo um sócio para a Europa e a Otan

"Não devemos esquecer que o Reino Unido continua sendo um partidário da Otan e da Europa", enfatizou Ulrike Demmer aos jornalistas depois que o governo britânico iniciou o processo de divórcio com a UE.

Já a chanceler alemã pediu que as negociações para a saída do Reino Unido da UE sejam "justas e equilibradas". Prometeu, além disso, empenhar-se para garantir que as vidas dos cidadãos da União Europeia que vivem no Reino Unido sejam o menos perturbadas possível.

Merkel disse aos membros de seu partido que a perspectiva do "brexit" fez com que muitas pessoas na Europa se preocupassem com seu futuro pessoal.

"Este é o caso especialmente para muitos alemães e cidadãos europeus na Grã-Bretanha. Por isso, o governo alemão vai trabalhar intensamente para garantir que o efeito sobre o cotidiano dessas pessoas seja tão pequeno quanto possível", afirmou.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que a União Europeia atuará de forma coesa nas negociações do Brexit e que os 27 países do bloque já estão sentindo muito a falta do Reino.

"Lamentamos que o Reino Unido vá abandonar a União Europeia, mas estamos prontos para o processo que a partir de agora devemos seguir", afirmou em um documento redigido em nome dos 27 dirigentes europeus, que se reunirão em 29 de abril, em Bruxelas, para definir as grandes linhas de negociação da UE.