2% da fortuna de Elon Musk acabaria com a fome do mundo

·1 min de leitura
Uma
Uma "pequena" dos ultra-ricos ajudaria a acabar com a fome do mundo. Foto: Getty Images.
  • A ideia vem do diretor do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas;

  • Segundo David Beasley, "apenas" US$ 6 bilhões, ou seja, quase R$ 34 bilhões, ajudariam 42 milhões de pessoas;

  • Recentemente, Elon Musk tomou o primeiro lugar de pessoa mais rica do mundo com um patrimônio liquido de cerca de US$ 289 bilhões.

De acordo com David Beasley, diretor do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, uma "pequena" ajuda de apenas uma parcela de indivíduos do grupo dos ultra-ricos poderia resolver a fome do mundo. Bastaria doar uma fração minúscula do patrimônio líquido.

Leia também:

Jeff Bezos e Elon Musk sozinhos conseguiriam o feito. Segundo o diretor, US$ 6 bilhões, o equivalente a quase R$ 34 bilhões, já permitiriam a 42 milhões de pessoas a não morrer de fome.

Recentemente, o fundador da SpaceX tomou o primeiro lugar de pessoa mais rica do mundo de Jeff Bezos. Com um patrimônio líquido avaliado em cerca de US$ 289 bilhões, Beasly pede do presidente-executivo da Tesla a doação de 2% da fortuna .

Para exemplificar a situação calamitosa do mundo, segundo relatório do PMA, anunciado na última segunda-feira (25), metade da população Afegã, ou seja, 22,8 milhões de civis, sofre com crise aguda de fome. Uma crise humanitária bate à porta do país, que tem 3,2 milhões de crianças menores de cinco anos em risco.

Desde o começo da pandemia, patrimônio líquido dos bilionários dos Estados Unidos praticamente duplicou.

As informações são da Istoé Dinheiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos