2 - Marcado por casal polêmico e expulsão, 'BBB 17' chega ao fim

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O "BBB 17" chega ao fim nesta quinta-feira (13), quando Emilly, Ieda e Vivian saberão quem venceu o prêmio de R$ 1,5 milhão oferecido pelo programa.

Em uma edição polêmica, o reality show viu até um de seus participantes, Marcos, ser expulso na segunda (10), por suspeita de agredir a namorada, Emilly.

Mas, o 17º ano do "BBB" está longe de ser o único recheado de momentos controversos.

Relembre alguns brothers e sisters que deram o que falar nas edições passadas do reality show.

TATUAGEM (BBB 2010)

Em 2010, o confinamento recebeu dois participantes de edições passados do "BBB": Joseane Oliveria e Marcelo Dourado. O último acabou se tornando o vencedor do programa e nem suas várias polêmicas conseguiram atrapalhar seu caminho até o prêmio. Uma delas foi a tatuagem do brother, que incluía uma suástica, símbolo religioso adotado por Hitler durante o nazismo alemão. A figura foi motivo de discussão dentro da casa e deixou alguns participantes incomodados.

HOMEM ESPONJA (BBB16)

Um dos momentos que mais deram o que falar no "BBB 16" foi causado pela própria produção do programa. Isso porque um dos utensílios de cozinha da casa era uma esponja, em formato de um homem negro com cabelo "black power". O objeto desagradou Ronan e também parte do público. Acusada de racismo, a Globo foi alvo de uma ação do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro e explicou que a esponja fazia "parte de uma coleção que retrata ícones de gerações e culturas diversas".

FICA OU NÃO FICA (BBB1)

Quando o "BBB" ainda era novidade, o participante Sérgio Tavares ganhou os holofotes após quase ser deportado para a França, país onde cresceu. O motivo da confusão foi um visto temporário que expirou, impossibilitando sua permanência em terras brasileiras. No fim, a situação foi resolvida, e Sérgio conseguiu continuar na primeira edição do jogo.

COM SAÚDE NÃO SE BRINCA (BBB 10 e BBB 14)

Duas vezes a produção do "BBB" enfrentou uma saia justa por causa das asneiras ditas por participantes em relação à Aids. Em 2010, Dourado se envolveu em outra polêmica ao declarar que a doença, que afeta mais de 800 mil brasileiros, não contamina heterossexuais. Já em 2014, Angela sugeriu matar os infectados pela Aids, o que rendeu a visita de uma especialista à casa, para esclarecer as dúvidas dos brothers e sisters.

MENTIRA TEM PERNA CURTA (BBB 15)

Em 2015, o ex-militar Luan Patrício revelou, ao vivo, que teria matado um jovem durante uma operação no Complexo do Morro do Alemão, no Rio. "Rasgou a cabeça dele e a caixa da água", disse sobre um suposto disparo. O caso chamou a atenção da polícia, mas depois de ser eliminado, Luan desmentiu a história. "No calor do jogo, eu acabei inventado. Foi questão de me sobressair, de ter destaque entre os outros."

ESTUPRO (BBB 12)

A polícia também esteve envolvida em outra edição do "BBB". Em 2012, o modelo Daniel Echaniz foi acusado de estuprar a sister Monique Amin depois de uma festa. Autoridades abriram uma investigação, e o participante acabou sendo expulso. O caso foi encerrado depois que Monique, em seu depoimento, negou o abuso.