2 mil funcionários da Starbucks fazem grave nos EUA

Protesto acontece em um dos dias mais movimentados do Starbucks (Getty Image)
Protesto acontece em um dos dias mais movimentados do Starbucks (Getty Image)
  • Mais de 2 mil pessoas devem entrar em greve contra o Starbucks;

  • Trabalhadores lutam pelo movimento sindical nos EUA;

  • Ao todo, são 264 lojas que votaram a favor da representação.

Nesta quinta-feira (17), mais de 2 mil funcionários de 112 Starbucks devem entrar em greve. Segundo o sindicato que organiza as lojas, a movimentação acontece contra a retaliação sindical que acontece no país.

Além disso, a organização também diz está protestando contra o que a recusa da empresa em negociar com o sindicato um primeiro acordo trabalhista. Ao todo, são 264 lojas que votaram a favor da representação sindical.

“Isso é para mostrar a eles que não estamos brincando”, disse Tyler Keeling, um sindicalista, em entrevista à CNN. “Acabamos com a retaliação antissindical deles e com eles se afastando da negociação.”

No final de setembro, a Starbucks enviou cartas para mais de 200 locais alegando que estava pronta para iniciar as negociações do contrato. No entanto, a Starbucks Workers United argumenta que a empresa não negociou de boa fé.

De acordo com o The Guardian, especialistas em leis trabalhistas expressaram preocupação com as táticas e o comportamento da Starbucks para garantir um primeiro contrato sindical e a inadequação da legislação trabalhista atual, que é fraca, desatualizada e não fornece suporte adequado para garantir primeiros contratos sindicais.

A greve coincide com o “Red Cup Day” anual da Starbucks, quando as cafeterias distribuem canecas vermelhas reutilizáveis ​​para viagem aos clientes que pedem bebidas qualificadas para a promoção. De acordo com os trabalhadores, esse é um dos dias mais movimentados da rede, com clientes dedicados fazendo fila do lado de fora das lojas para receber o brinde.