2 - Opositor venezuelano Antonio Ledezma foge para a Colômbia

1 / 1
2 - Opositor preso Antonio Ledezma foge do país

SYLVIA COLOMBO, ENVIADA ESPECIAL

SANTIAGO, CHILE (FOLHAPRESS) - O governo colombiano anunciou, no começo da tarde desta sexta-feira (17), que o líder opositor venezuelano Antonio Ledezma, ex-prefeito de Caracas, ingressou em território do país vizinho por via terrestre, através da ponte internacional Simón Bolívar.

"O senhor Ledezma ingressou em território colombiano e realizou o trâmite migratório, conforme as regras vigentes na fronteira", diz o comunicado enviado pela Presidência da Colômbia à imprensa.

Ledezma estava em regime de prisão domiciliar e escapou durante a madrugada. Segundo um familiar que teria falado com o jornal local "El Nacional", Ledezma teria como destino final um país europeu.

Depois de Leopoldo López, também em prisão domiciliar, Ledezma é o preso político mais famoso entre os mais de 3.000 que se estima estarem sob custódia da ditadura Nicolás Maduro. Ledezma já cumpriu mais de mil dias de detenção, sendo que boa parte deles na prisão militar de Ramo Verde, a mesma em que esteve López.

Ledezma é acusado de conspiração e formação de quadrilha por parte da Procuradoria venezuelana. Porém, até hoje, não chegou a ser julgado.

O secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), o uruguaio Luis Almagro, lançou uma mensagem nas redes sociais: "Felicito a Antonio Ledezma, referente moral da Venezuela, agora livre para liderar a luta, desde o exílio, para a instauração do sistema democrático em seu país".

Outra líder opositora venezuelana, María Corina Machado, também o felicitou: "estava segura de que Ledezma não permitiria que o fizessem refém da tirania. Sua vida corria perigo, agora, de onde estiver, lutará sem descanso por nossa liberdade".

Até o momento, não são conhecidos os detalhes da fuga. Tanto a casa de López como a de Ledezma estão sob constante vigilância policial e de agentes do Sebin.