2 - TRE transfere Garotinho para penitenciária de segurança máxima

1 / 1
2 - TRE transfere Garotinho para penitenciária de segurança máxima

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O Tribunal Regional Eleitoral em Campos dos Goytacazes determinou na tarde desta sexta-feira (24) a transferência do ex-governador Anthony Garotinho (PR) do presídio de Benfica, zona norte, para uma penitenciária de segurança máxima.

Garotinho, alegou por meio de sua defesa que foi agredido nesta madrugada por um homem com um porrete que teria invadido a sua cela. O ex-governador prestou depoimento sobre o ocorrido na tarde desta sexta-feira.

A decisão do TRE aguarda respaldo da Vara de Execuções Penais do Estado. Em razão da denúncia, contudo, a Secretaria de administração penitenciária decidiu transferir Garotinho para a Bangu 8, na zona norte.

Garotinho está preso desde quarta-feira (22) no presídio de Benfica, conhecido como a "cadeia da Lava Jato", por abrigar também o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), o presidente afastado da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), Jorge Picciani (PMDB), e o empresário do setor de transportes Jacob Barata Filho. Os três são desafetos de Garotinho, que há anos divulga denúncias contra a cúpula do partido rival em seu blog.

Segundo o advogado de Garotinho, Carlos Azeredo, o político teria sido agredido no joelho com um porrete e recebeu um pisão no pé. Ele passará por exame de corpo de delito.

A reportagem apurou que o político está em uma cela que fica no mesmo andar de Cabral e Picciani, porém galerias diferentes. A galeria B, Garotinho estaria sozinho em uma cela, em uma ala com outras cinco celas, que estariam vazias.

Vídeo divulgado pelo portal G1 mostra o interior da cadeia, supostamente no momento em que Garotinho diz ter sido agredido. Nas imagens não há qualquer episódio como o descrito pelo ex-governador.

A Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) informou que só irá se pronunciar após o resultado dos laudos do IML (Instituto Médico Legal), que fará o exame de corpo de delito.

O juiz eleitoral Ralph Machado Manhães Junior decidiu pela transferência do detento, apesar de registrar em sua decisão que pairam dúvidas sobre a versão apresentada pelo político.

"As informações preliminares recebidas por este juízo, até o momento, não levam à conclusão segura de que a agressão narrada pelo denunciado tenha realmente ocorrido, sendo, portanto, imprescindível a análise mais detalhada do caso", diz.

Ele determina ainda que fica autorizada a transferência imediata do réu para um presídio federal de segurança máxima, sem especificar onde, "visando assim garantir a integridade física do acusado e evitar novos questionamentos duvidosos".

Segundo o juiz, Garotinho deverá ser mantido em cela separada dos demais presos. A decisão para onde o político será transferido caberá à Vara de Execuções Penais do Estado do Rio.

O Ministério Público Estadual entrou na justiça solicitando a transferência de Garotinho, mas teve pedido negado nesta sexta-feira (24).