2 - Tucano culpa Haddad, que diz ter deixado verba

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

A gestão João Doria (PSDB) coloca no antecessor, Fernando Haddad (PT), a culpa pelo não atendimento de reclamações neste começo de ano.

Afirma que assumiu com uma "demanda represada" de 589.026 solicitações pelo serviço 156 e aplicativo --que não haviam sido atendidas.

Desse universo, 457.864 se referem às 32 prefeituras regionais (zeladoria), 46.628 são relativos ao trânsito e 84.534, a outros órgãos públicos.

"Lamentavelmente, o governo herdou, junto com essas demandas, buracos orçamentários de R$ 7,5 bilhões que inviabilizam, dentre outros serviços, o atendimento aos pedidos do 156 na velocidade adequada", diz a prefeitura, que afirma ser preciso atender 6.544 pedidos por dia.

Doria afirma que aumentou as equipes para operação tapa-buraco de 32 para 75, além de aprimorar o programa "Adote uma Praça", que permite que pessoas físicas ou empresas conservem áreas verdes, além de realizar os programas Cidade Linda e Mutirão Calçada Nova.

Em relação aos pedidos sobre descarte de entulho, a administração tucana afirma se tratar de "pontos viciados", onde os serviços são executados, mas posteriormente ocorre novo descarte.

A prefeitura diz ainda que multou uma das empresas responsáveis pela iluminação pública, após um fiscal constatar um problema de falta de luz que a companhia havia negado existir. Também diz que averigua eventual falha dos prestadores que dizem ter feito outros serviços.

Por meio de sua assessoria, Haddad diz ter deixado R$ 5,5 bilhões em caixa para que Doria resolvesse os problemas.

"Culpar a gestão anterior é um clássico, sobretudo quando você não tem o que dizer", afirma em nota. "Doria tem repetido que ao gestor não cumpre apenas relatar o que está errado, mas sim corrigir. Parece que a gestão dele não entendeu a filosofia."