"2023 vai ser mais duro do que 2022", avisa diretora-geral do FMI

Kristalina Georgieva referiu que a situação poderá piorar consideravelmente, apesar dos eventuais esforços dos decisores políticos para apoiarem as famílias e as empresas.