3a dose: Saúde reduz intervalo para 5 meses e libera para todos os adultos

·2 min de leitura
The Municipality of Volta Redonda, in the state of Rio de Janeiro, Brazil, carried out this Friday, November 5, 2021, a large drive-thru vaccination against Covid-19. The event, called Viradão pela Vida, aimed to vaccinate elderly people who have already taken the two doses, young people over 12 years old and city residents who have not yet taken any dose. (Photo by Ernesto Carriço/NurPhoto via Getty Images)
Qualquer adulto com mais de 18 anos e com 5 meses de intervalo poderá receber a dose adicional (Foto: Ernesto Carriço/NurPhoto via Getty Images)
  • Ministério da Saúde anunciou que todos os adultos com mais de 18 anos poderão tomar a terceira dose da vacina contra a covid-19

  • Intervalo entre segunda dose e a dose adicional é de cinco meses

  • Preferência é que seja usado o imunizante da Pfizer como dose adicional

O Ministério da Saúde anunciou que todos os adultos com mais de 18 anos poderão tomar a dose adicional da vacina contra a covid-19. O intervalo, que antes era de 6 meses, foi reduzido para 5 meses.

O anúncio foi feito nesta terça-feira (16) pelo ministro Marcelo Queiroga. “Graças às informações que temos dos estudos científicos, nós decidimos ampliar a dose de reforço para todos acima de 18 anos que tenham tomado a segunda dose há mais de cinco meses”, afirmou.

Até agora, a recomendação era que a dose adicional fosse aplicada apenas em maiores de 60 anos e profissionais de saúde após seis meses do ciclo vacinal completo. Imunossuprimidos poderiam tomar a terceira dose após 28 dias.

A expectativa do Ministério da Saúde é que 12,4 milhões de pessoas já possam tomar a dose adicional no mês de novembro.

Marcelo Queiroga afirmou que a preferência é que a vacina aplicada seja diferente daquela usadas na duas primeiras doses. Além disso, o mais adequado é que seja o imunizante Pfizer, mas, em caso de falta desta vacina, também podem ser usados os imunizantes da Janssen e da AstraZeneca como dose adicional. "É preferencial que essa aplicação seja com dose diferente, o que nós chamamos de vacinação heteróloga, e essa decisão é baseada na ciência", disse. 

Ainda não há uma definição sobre qual deverá ser a terceira dose aplicada em quem tomou as duas primeiras doses da Pfizer. Em relação aos brasileiros que tomaram a primeira dose da AstraZeneca e a segunda da Pfizer, a terceira dose deve ser também da Pfizer. 

A ideia, segundo Queiroga, é que as doses necessárias sejam distribuídas na próxima semana, para que os adultos possam se vacinar. O calendário de vacinação deve ser divulgado pelos estados e municípios, mas, de acordo com o ministro, o cronograma deve ser regido pelo tempo de intervalo entre o primeiro ciclo, agora de 5 meses. 

Vacina da Janssen 

Os brasileiros que receberam a vacina da Janssen não receberão a dose adicional, segundo Marcelo Queiroga, mas uma segunda dose, para completar o ciclo vacinal. 

"A vacina da Janssen, o quantitativo aplicada no Brasil foi pequeno. E, no início, a recomendação é que essa vacina fosse de dose única. Hoje, sabemos que é preciso essa proteção adicional. Então, esses que tomaram a vacina da Janssen vão tomar a segunda dose do mesmo imunizante. E como já temos quantitativos, não será um esforço muito grande", explicou. 

Segundo a equipe do Ministério da Saúde, quem tomou a dose da Janssen deve esperar dois meses para tomar a segunda. Após cinco meses da segunda dose, quem tomou o imunizante da Janssen receberá a terceira dose, preferencialmente com uma vacina diferente. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos