4 - Delatores relatam favorecimento a Odebrecht no TCU

ANGELA BOLDRINI

FLÁVIO FERREIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dois delatores da Odebrecht envolveram a sobrinha do presidente do Tribunal de Contas da União, Raimundo Carreiro, e o filho do ministro Aroldo Cedraz no caso relacionado à usina de Angra 3.

Segundo depoimento de Henrique Pessoa Mendes Neto e Fabio Gandolfo, Fernanda Carreiro Roxo teria sido contratada pela empreiteira "como contrapartida a facilidades experimentadas, quanto à citada obra, no âmbito do TCU".

Eles também detalham um pagamento de R$ 1 milhão para o advogado Tiago Cedraz Leite de Oliveira. O valor "seria destinado ao seguimento do processo de licitação referente à obra de Angra 3".

Conforme a Procuradoria-Geral da República, Mendes Neto relatou ainda pagamento de R$ 1 milhão ao senador Edison Lobão (PMDB-MA), em 2014.

No despacho, Fachin determina que os depoimentos sejam anexados a um inquérito já em curso que apura irregularidades e pagamento de propina no âmbito das obras da usina.

O STF tornou públicos os documentos relativos à delação da Odebrecht na noite desta terça (11).