"Faz parte", diz Doria sobre impacto do Carnaval em hospitais na região da 23 de Maio

Renato S. Cerqueira/Futura Press

JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), fez um balanço positivo do Carnaval da avenida 23 de maio e minimizou os problemas causados pela festa no acesso e no barulho causado a hospitais e centros médicos que ficam na região.

As declarações foram dadas em Salvador, onde o prefeito paulistano visitou o camarote da prefeitura de Salvador, no circuito do Campo Grande, ao lado do prefeito ACM Neto (DEM) e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

"Aqui em Salvador, o Carnaval passa na frente dos hospitais. No Rio também. As pessoas têm que compreender. Faz parte da novidade", afirmou Doria, destacando que a festa terminou às 20h: "É um horário que não perturba ninguém".

Conforme reportagem publicada pela Folha de S.Paulo nesta terça, o Carnaval da avenida 23 de Maio levou transtornos a moradores e a pacientes internados em hospitais da região da Aclimação, Bela Vista e Paraíso.

O entorno da avenida tem ao menos seis grandes centros médicos. Com janelas voltadas para a 23 de Maio, o Beneficência Portuguesa, na rua Maestro Cardim, foi um dos mais afetados.

Doria afirmou ainda não teve nenhum problema para quem quisesse chegar aos hospitais: "Os acessos continuaram abertos e funcionais", disse, ressaltando que houve melhoria na sinalização.

Num balanço sobre o Carnaval paulistano, Doria disse que o resultado foi espetacular e afirmou que 6 milhões de pessoas já participaram da festa.