'30 anos de saudade': Gloria Perez posta homenagem a Daniella Perez no aniversário de sua morte

A escritora Gloria Perez compartilhou uma homenagem feita a Daniella Perez na escola de dança Jazz Carlota Portella, que era frequentado pela atriz, que faleceu no dia 28 de dezembro de 1992, assassinada por Guilherme de Pádua e Paula Thomaz. O crime chocou o brasil e foi retratado na série documental "Pacto brutal", lançada pela HBO Max.

Gloria Perez relembra assassinato da filha em série documental: 'O tempo não cura nem ameniza nada'

Caso Daniella Perez: relembre o crime que chocou o país

"30 anos de saudade. O Jazz Carlota Portela foi a segunda casa da Dany. E nesse 2022, eles fizeram uma linda e emocionante celebração da sua vida: ela voltou a dançar com os integrantes do grupo com quem dançou no espetáculo de fim de ano daquele 1992", compartilhou a autora de "Travessia" em post no Instagram.

Prima de Daniella, Barbara Yehudit Ferrante também se manifestou nas redes sociais e aproveitou para relembrar Paula Thomaz, condenada pelo assassinato da prima ao lado de Guilherme de Pádua, que faleceu aos 53 anos em novembro.

"28 de dez de 1992 foi devastador para minha família. Enquanto fazíamos planos para a virada cheios de esperança, Paula Peixoto e seu comparsa que já está no quinto dos infernos, matavam de maneira cruel e covarde uma menina doce e cheia de sonhos que tinha uma vida pela frente", compartilhou Barbara.

"Pacto brutal" foi uma das séries nacionais de maior repercussão em 2022. A produção retrata com detalhes a investigação e o processo judicial sobre o caso Daniella Perez, com depoimentos de parentes, amigos e pessoas envolvidas no caso. Por opção dos realizadores, Tatiana Issa e Guto Barra, os assassinos não foram ouvidos.

— Mostrar a verdade do processo é resgatar a Dany. Isso eu devo a ela como mãe. Foi duro demais reviver passo a passo aquele dia, aqueles anos. Não que eles estivessem longe. Essas vivências são tatuagens na sua memória e no seu sentimento. Estão sempre latejando. O tempo não cura nem ameniza nada — disse Glória em entrevista ao GLOBO, em julho, na ocasião do lançamento da série documental.

Daniella Perez tinha 22 anos quando foi assassinada. À época, a atriz era casada com Raul Gazolla, que também foi entrevistado pela série.

— Tivemos que defender a honra da Dany e provar que ela não tinha tido nada com o assassino. Tenho uma admiração muito grande pela Gloria, ela foi muito aguerrida — disse Raul ao GLOBO.

Relembre o caso

Em 28 de dezembro de 1992, a atriz e bailarina Daniella Perez deixava um dia de gravações da novela “De corpo e alma”, de autoria de sua mãe, quando foi encurralada pelo colega de elenco Guilherme de Pádua e sua então esposa, Paula Thomaz. Imobilizada e levada para um local ermo, Daniella foi morta com 18 punhaladas. O caso teve grande cobertura na mídia, rivalizando em atenção com a renúncia do então presidente da República Fernando Collor, que ocorreu no dia seguinte ao assassinato, e com o público acompanhando as investigações e o julgamento quase como se estivesse seguindo uma ficção macabra.