33% dos brasileiros pretendem mudar de casa até 2024

Brasileiros fazem reforma em casa na maioria das vezes por motivo estético
Brasileiros fazem reforma em casa na maioria das vezes por motivo estético

O mercado imobiliário brasileiro e suas configurações foram analisados por pesquisa do QuintoAndar, realizada em parceria com o Datafolha em outubro de 2021, nas regiões Sudeste, Sul, Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país em pontos de grande fluxo populacional. A coleta de dados revela que a maioria dos entrevistados já fez reforma na casa (51%) e que parte deles ( 33%) intenciona mudar de residência nos próximos dois anos.

Os dados reúnem 3.186 entrevistas feitas com residentes nas cinco regiões do país que têm faixa etária superior a 21 anos. Os respondentes foram indagados quanto à configuração da casa, tipos de reforma realizada na residência e sobre o desejo de mudar de imóvel ou bairro nos próximos anos.

Quanto às reformas realizadas, a pesquisa aponta que 28% foram por estética e acabamento, 12% de cunho estrutural, 5% tratava-se da construção de um novo cômodo, 4% da ampliação de partes da casa e 2% referiam-se à elétrica ou hidráulica.

Os dados revelam que a expectativa média de um imóvel tem durabilidade de 25 anos e apontam que as configurações mais comuns das moradias têm respectivamente dois dormitórios (47%), três quartos (39%) um quarto (14%) e, por último, quatro quartos (9%). Espaços extras à configuração básica composta por sala, quarto, cozinha e banheiro costumam estar presentes em imóveis da classe social A e B.

O desejo de mudar de bairro aparece na fala de um em cada três entrevistados e é recorrente a expectativa de viver em um espaço maior, construir a casa própria, ter mais segurança e conviver em áreas arborizadas. A margem de erro da amostragem da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos