39 - Odebrecht deu R$ 500 mil para 'não ter José Dirceu como inimigo', diz delator

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O relator da Operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Edson Fachin, levantou nesta quarta-feira (12) o sigilo sobre os vídeos dos depoimentos dos 77 delatores da empreiteira Odebrecht.

Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, depôs à PGR (Procuradoria-Geral da República) sobre pagamentos orientados por José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil na gestão Lula.

Segundo o delator, foram feitos pagamentos ao deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro, nas campanhas de 2010 e 2014. Nos dois anos foram repassados R$ 250 mil na forma de caixa 2.

Reis relatou que os pedidos de "ajuda" foram feitos pelo pai, que não definiu valores. De acordo com o delator, o objetivo dos pagamentos, para a Odebrecht, era "não ter José Dirceu como inimigo".

Na delação, Reis cita ainda outros pagamentos "orientados" por Dirceu em campanhas eleitorais entre 2008 e 2012.

O advogado de José Dirceu, Roberto Podval, afirmou que só vai se manifestar após conhecer integralmente o teor da acusação contra o ex-ministro.