4 a cada 10 brasileiros negam oferta de trabalho por salário

Brasileiros recusam propostas com valores baixos (Getty Image)
Brasileiros recusam propostas com valores baixos (Getty Image)
  • Pesquisa mostra que 41% dos brasileiros recusam empregos que pagam pouco;

  • Distância, não gostar das atividades ou falta de benefícios também influenciam em decisão;

  • Trabalhadores negociam remunerações para aumentar os valores pelas vagas.

Com exceção de pessoas muito ricas e herdeiros, os trabalhadores desempenham funções profissionais para pagar as contas. Mas, quando as vagas oferecem salários baixos para o cargo, não são atrativas para os candidatos que poderiam ocupar os postos de trabalho.

Uma Pesquisa de Profissionais Brasileiros, realizada pela Catho, marketplace de tecnologia que conecta empresas e candidatos, mostra que 41% dos das pessoas chegam a recusar uma oferta de emprego por remuneração insuficiente.

O levantamento aponta ainda que 28% dos entrevistados já recusaram propostas por serem em locais longe de onde moram, 14% por não gostarem do escopo do trabalho 7% por benefícios insuficientes.

Contudo, o estudo mostrou ainda que 32% dos entrevistados afirmam conseguir elevar a oferta inicial do contratante em 11 a 20%.

"A pesquisa revela os desafios do cenário econômico e também aponta para a forma como os profissionais vêm observando o real valor do seu trabalho, incluindo todos os investimentos feitos em estudos, fazendo com que o candidato peça o aumento da proposta salarial inicial feita pelas empresas durante o processo seletivo", disse Carolina Tzanno, Gerente Sênior de Recursos Humanos da Catho, ao Portal Ig.

Ela ainda reforçou que "uma das estratégias adotadas é a revisão dos benefícios como meio de compor a remuneração total do colaborador, com destaque recente para ações focadas em saúde e bem-estar”. Essa seria uma forma de tornar as vagas mais atraentes para os candidatos com melhores qualificações do mercado.