4ª dose a partir de 45 anos contra a Covid começa na quarta (22) na cidade de SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cidade de São Paulo começa a aplicar o segundo reforço, ou quarta dose da vacina contra a Covid-19, a quem tem 45 anos ou mais na quarta-feira (22). É preciso ter recebido a imunização anterior há ao menos quatro meses.

Nesta segunda-feira (20), o Ministério da Saúde anunciou que o reforço na vacinação para quem tem a partir de 40 anos está liberado em todo o país.

A ampliação da quarta dose para a população com idade entre 40 a 49 anos ocorrerá de forma escalonada na capital paulista.

A prefeitura ainda não informou quando quem tem a partir de 40 anos poderá receber o reforço na imunização.

Ao todo, 1.020.863 pessoas desta faixa etária estão elegíveis para a quarta dose, sendo cerca de 500 mil entre 45 e 49 anos. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a cidade tem doses e insumos suficientes para vacinação dos novos grupos anunciados.

Questionada, a Secretaria Estadual da Saúde não informou como será a ampliação do reforço nos demais municípios paulistas até a publicação desta reportagem.

A quarta dose para quem tem 50 anos ou mais no estado começou no último dia 6 de junho.

Segundo o governo federal, podem ser usadas vacinas Pfizer, Janssen e Astrazeneca, independentemente da dose aplicada anteriormente.

De acordo com a prefeitura paulistana, até a última quarta-feira (15), véspera do feriado prolongado de Corpus Christi, 65,6% das pessoas do público-alvo já tinham tomado as quatro doses da vacina contra o coronavírus na capital paulista.

No total, a cidade de São Paulo já havia aplicado, até quarta, quase 32,5 milhões de doses do imunizante contra a Covid-19.

Em outros grupos, quem tem a partir de 12 anos já pode receber a terceira dose (ou primeira de reforço) da vacina.

Crianças a partir de 5 anos de idade também já podem ser vacinadas.

Já terceira dose de reforço (equivalente à quinta dose) está sendo aplicada em pessoas com alto grau de imunossupressão com 50 anos ou mais. São pacientes em tratamento contra o câncer, transplantados, pacientes que fazem hemodiálise e soropositivos para HIV, por exemplo.

Alta de casos A aplicação da quarta dose da vacina começa em meio a uma nova alta de casos. Segundo a prefeitura, a rede municipal de saúde está com 69% de ocupação na taxa de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com Covid-19 na rede municipal.

Boletim divulgado domingo (19) mostra que os hospitais administrados pela prefeitura tinham 354 pessoas internadas com a doença. Em 19 de maio eram 110, uma alta de 222% em um mês.

Em meio ao crescimento de casos de Covid-19, a Secretaria Municipal da Saúde anunciou no último dia 13 que 50 novos leitos seriam disponibilizados para tratar pacientes com a doença ou com síndrome respiratória aguda grave.

O Brasil registrou 47 mortes por Covid neste domingo. Com isso, o país tem uma média móvel de 133, o que representa um aumento de 73% comparado ao dado de duas semanas atrás. Esse percentual é o maior desde 10 de fevereiro, data em que o país teve um crescimento de 85% na média de óbitos. Nos últimos dias, foi observado um crescimento paulatino na média de mortes.

A ampliação da quarta dose também ocorre em meio à estagnação da cobertura vacinal e à enorme quantidade de vacinas contra a Covid-19 em estoque.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, quase 28 milhões de doses perderão a validade nos próximos dois meses. São ao menos 26 milhões de unidades da Astrazeneca e 1,92 milhão da Pfizer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos